Local Pub, a versão inglesa do boteco da esquina

Pouco depois de mudar para Londres, você descobre a importância de ter seu “local pub”.

A cidade oferece uma infinita possibilidade de locais para sair e isso, muitas vezes, torna difícil a opção de voltar a algum lugar, porque você quer sempre conhecer algo novo. E sempre há algo novo para se conhecer.

Talvez seja justamente esse excesso de opções que contribua para a existência do hábito, que considero até cultural, de se eleger o tal do “local pub”. Todo morador que se preze tem um, aquele pub onde você se sente confortável em frequentar, em voltar, em conhecer quem te atende, em passar na volta do trabalho, em tomar um café quando sai para passear com o cachorro.

Engraçado porque vejo como uma necessidade bastante provinciana em uma cidade que é cosmopolita até os ossos! Parece incoerente, mas acredito que seja exatamente a impessoalidade cosmopolita que gere essa necessidade de um canto aconchegante, confortável.

No meu caso, antes de pensar sobre tudo isso e de sequer saber que eu “deveria” ter um pub local, comecei a frequentar um. Por um motivo muito simples, acabara de me mudar. Não tinha conexão de internet em casa e não tinha como cozinhar. Pelo menos, até a mudança chegar e os serviços básicos estivessem instalados, basicamente, a única coisa que havia para fazer no meu apartamento era dormir.

Bem perto da minha casa, havia um pub com uma cara ótima, The Elgin. Oferecia wi-fi gratuito, o serviço era simpático, a comida era boa e ninguém me enchia o saco! Passei a frequentá-lo diariamente na hora do jantar.

Era confortante entrar e nem precisar pedir a senha do wi-fi, meu ipad já reconhecia automaticamente, me dava uma sensação de estar em um lugar que eu fazia parte, mesmo em uma cidade razoavelmente desconhecida.

Descobri pouco depois que o pub havia acabado de inaugurar, havia propaganda pelo metrô e algumas críticas bastante positivas sendo divulgadas. Fiquei satisfeita, dei sorte!

The Elgin é o que se chama hoje de gastro pub, ou seja, oferece uma atenção a mais em relação à comida. Você pode simplesmente tomar um bom café ou chá com bolo, tomar um vinho ou fazer uma refeição. O cardápio é curto e bem cuidado, com toques da gastronomia espanhola. O ambiente é moderno, com um pé direito alto e decoração ao mesmo tempo despojada e informal, mas com certa elegância rústica. Além das mesas, é possível se acomodar em alguns sofás. Enfim, para almoçar ou jantar, melhor as mesas, mas para um bate papo e alguns drinks, os sofás são bem confortáveis. Recomendo provar os croquetes de carne e o chorizo com batatas e ovo pochet. Ainda que praticamente todos os pratos sejam bons, o único que não me agradou foi o “Sunday Roast”, o famoso assado de domingo que os pubs fazem. O café é de excelente qualidade e a oferta de bebidas é bastante honesta.

elgin-home

O problema é que me surgiu um dilema. O fato do The Elgin ter um cardápio pequeno tem a vantagem de oferecer tudo fresco e bem feito, entretanto depois de um tempo, se torna repetitivo para se frequentar semanalmente.

Por isso, acabamos encontrando um segundo pub, que virou nosso outro favorito, o Warrington. O lugar é lindo! Segue um estilo tradicional, elegante, com madeira escura toda trabalhada e uma escadaria imponente em seu salão. Quando você fecha os olhos e imagina em como deveria ser um pub inglês, a imagem do Warrington se encaixa à perfeição. Valeria simplesmente pelo fato de ir até lá e bater fotos! Mas vai bem além da aparência. O atendimento é simpático e torna o ambiente mais leve e informal. Inclusive, acabamos descobrindo por acaso que um dos garçons é brasileiro e nos atende muito bem, já já acho que ficaremos amigos! Sempre peço a ele indicação do que está mais fresco e sigo suas recomendações. O cardápio é amplo, sem ser gigantesco, com as tradicionais comidas de pub. Nunca me decepcionou, é honesto. Gosto de tomar as sopas do dia e acho as sobremesas bastante boas.

IMG_8924

website6

Assim que por falta de um, temos dois pubs locais, The Elgin, quando queremos um local mais moderno para tomar um vinho e beliscar e The Warrington, quando queremos algo mais tradicional, comer algo caseiro e quentinho.

E já que estou falando de pubs, é bom saber como se comportar neles. Em um pub não há ninguém que te acompanhe à sua mesa. Você chega e senta onde estiver livre ou acha algum lugar pelo balcão. O garçon também não vem à mesa te perguntar o que você quer consumir, é você quem deve se dirigir ao balcão e pedir. Quando é só bebida, ele já te serve diretamente; quando inclui comida, levam na sua mesa. Geralmente, o que você pede é pago na hora, de maneira que quando você acabar, pode simplesmente se levantar e ir embora. Mas se você pretende ficar mais um pouco, jantar, tomar uma garrafa de vinho, enfim, você deve perguntar ao barman se pode deixar seu cartão de crédito com ele. E sim, deixar seu cartão de crédito no balcão é uma coisa normal. Ele costuma te dar um número para sua mesa e você no final vai lá, acerta sua conta e pega seu cartão de volta.

Não há uma gorjeta definida, até porque você não é servido como em um restaurante, é você mesmo quem se serve. Se você é turista, nem se preocupe, não estão esperando por isso. Mas por incrível que pareça, se é um pub que você frequenta, a gorjeta pode ser mal vista. Segundo nosso amigo que mora aqui há 15 anos, ele faz o seguinte, pela terceira cerveja, convida o barman a uma bebida. Ele pode tomar a bebida com você na hora, mas geralmente responde algo como, agora não posso, mas guardo para tomar mais tarde. E mais tarde ele decide se quer beber ou ficar com esse valor em dinheiro. É como uma gorjeta disfarçada.

Enfim, para quem vem a Londres a passeio, acho mais interessante variar e conhecer as diversas opções que a cidade oferece. Mas para quem mora, fica a dica, é conveniente eleger logo seu local pub. Tem para todos os gostos, o importante é que você se sinta à vontade e queira voltar.

8 comentários em “Local Pub, a versão inglesa do boteco da esquina”

  1. Adoreii. Nao tivemos a oportunidade de provar a comida no The Elgin, mas no sabado antes de ir pra casa, paramos pra tomar algo no The Warrington, e simplesmente fez sucesso total! Muito bom mesmo!!!! Estou adorando todo dia um post novo rsrsrs. Beijos Didis

  2. Oi, Didis! Andei meio desatualizada aqui pelo blog, deixa eu correr atrás do atraso, né? 🙂 O bom é que agora você pode ler sobre os lugares que conheceu 😉 Beijo

  3. Pra mim, prefiro pub com a decoração tradicional inglesa, acho que e a alma do lugar. Achar um assado de carne perfeito ainda nao achei em pub inglês 😦 mas achei um em um restaurante francês em Richmond , fica bem escondidinho na rua atras de uma igreja, se chama “La Buvette” 🙂 xxx

  4. Ana, o assado do Warrington é bom, dos que a gente já provou, foi o melhor.

    Para ser franca, nem vou com grandes expectativas, acho que esse assado nos pubs é como a gente sair no Brasil para comer um PF de arroz com feijão e bife, pode ser ótimo, mas não tem muito mesmo o que esperar. É mais para comer uma comfort food.

    Hoje a gente vai tentar ir no Bubbledogs, um restaurante de cachorro quente com champagne… rsrsrsrsrs… improvável, né? Já te conto 😉

    Beijo

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s