De caracol a camaleão

Há alguns anos atrás, escrevi uma crônica sobre como me sentia em ser uma “cidadã do mundo”. Basicamente, o que antes soava como internacional e cosmopolita, naquele momento me fazia questionar sobre minha identidade. Achava que um cidadão do mundo era um cidadão de canto nenhum.

 

Muita água rolou nesse período, era o primeiro de oito anos que vivi em Madri, e nem era minha primeira grande mudança. Sigo tendo meus problemas e questionamentos, mas sei muito bem quem sou. E mesmo que mude, o que é bastante provável, já não dói.

 

Tenho, literalmente, uma nacionalidade a mais, sou brasileira e espanhola. Falo, melhor ou pior, cinco idiomas. Caminho para meu endereço número 37, entre cinco países e oito cidades. Dou as estatísticas apenas como referência e para manter a memória registrada, porque já começa a me falhar.

 

Há anos meu país é minha casa, meu lar é minha cama, meus amigos são minha família, minha família de sangue é meu porto seguro e Luiz é meu norte (às vezes sul, leste, oeste…).

 

Descobri que não basta carregar a casa nas costas, o que sigo fazendo, mas a gente também precisa se adaptar à paisagem. Na verdade, precisar, não precisa, mas torna a experiência mais intensa e enriquecedora.

 

Pratico o desapego regularmente, por necessidade ou por disciplina, ou talvez porque seja minha natureza. Nunca passei grandes privações e nem sempre por mérito meu, tenho sorte, mas também nunca sofri muito tempo pelo que não podia ter. Minha linha de decisão é bastante primária e simples: quero ou não quero, posso ou não posso. O resto é circunstancial.

 

Não defendo que essa seja a melhor ou mais certa maneira de ser, há infinitas! Mas para quem pensa em optar por uma vida nômade, é melhor saber onde está se metendo, porque nem tudo são flores e aventuras. Ser razoavelmente livre dá o maior trabalho!

 

Em janeiro de 2013, desembarcaremos em Londres, nossa próxima estação. Como de costume, só temos data de chegada.

 

E quem quiser compartilhar essa próxima viagem, que seja bem vindo!

10 comentários em “De caracol a camaleão”

  1. Compartilharei!
    Organizaremos o aviao espanhol com muitos brasileiros dentro para o próximo niver de Luiz . rsrsrsrsrs.

  2. Pô, Tamise, o próximo aniversário dele está longe pacas! Precisamos arranjar algum pretexto antes! rsrsrsrs…

  3. Desejo que vocês sejam imensamente felizes em Londres. E que 2013 chegue trazendo muitas alegrias, saúde, paz, amor e amigos novos para você e Luiz.

    Feliz Vida Nova!
    Feliz Ano Novo!

    Beijos.

    Continuamos…

  4. Obrigada, Neusa! Para vocês também, tudo melhor para 2013! E seguimos… 😀 Besitos (ou deveriam ser “kisses”? rsrsrs)

  5. Pois é, lá vamos nós novamente e quero visita! Podem ir economizando! Até serei legal e pode ser no verão! Se a gente der sorte, o verão cai no fim de semana e Luiz pode aproveitar também! rsrsrsrsrs… Por outro lado, madrecita, lá tem trem para Paris 😉 Besitos & kisses

  6. Biancosa, estou aqui super ansiosa para começar a ler as crônicas em Londres. Todo começo tem muito o que contar, assim, vá preparando a caneta (ou o teclado). Desejo muitas aventuras para vocês em terras novas:) e espero que eu “precise” fazer conexão em Londres na próxima viagem a Europa:) beijos

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s