A delícia de alugar apartamento no Brasil!

Ok, serei justa, não é um problema apenas brasileiro, alugar apartamento é um saco em qualquer lugar do mundo! É sempre mais caro do que você queria pagar, nem tudo é do jeito que você gostaria, enfim, não é de todo simples.

Entretanto, cada lugar tem suas peculiaridades e, vamos combinar, aqui há algumas que dá vontade de arrancar os cabelos do sovaco!

Ah, Bianca, fala sério, agora que você descobriu isso?

Sim, só agora! Porque em toda minha vida adulta no Brasil, nunca aluguei um imóvel por longo prazo. Ao sair da casa dos meus pais, quando vim morar sozinha em São Paulo, ou ficava em flats ou dividi apartamento com uma amiga (e o apartamento era dela). Casada com Luiz, sempre comprávamos os imóveis em que vivíamos. Assim que tinha uma idéia das complicações sobre aluguéis, mas só de orelhada, nunca vivi na pele.

O fato é que a gente precisava de um endereço em São Paulo para enviar a mudança, caso contrário, nada é liberado. Você até consegue que a mudança saia do país estrangeiro, mas para ser liberada pela Receita Federal, é obrigatório comprovar um endereço no país.

Ainda morando em Londres, saí pesquisando na internet como uma louca no Zap Imóveis. Fazia um filtro e selecionava os melhores para Luiz visitar. Afinal, ele se instalou aqui quase dois meses antes de mim.

O plano A era conseguir o apartamento e encomendar os eletrodomésticos. De maneira que, quando chegássemos de vez com os gatos, nem iríamos para flat, já poderíamos ir direto para nosso novo endereço. Veja bem, para quem não prestou atenção, vou repetir, Luiz veio quase dois meses antes de mim! Tempo suficiente para encontrar um apartamento e comprar o básico, certo?

Errado!

Encontrar o apartamento, ele encontrou. Até iniciou o processo de assinar o contrato (sim, porque é todo um processo, né?), mas resolver que é bom… Começou a lista de mil documentos necessários, sendo um deles uma original ou cópia autenticada da nossa Certidão de Casamento e minha identidade e CPF. Luiz tentava argumentar, mas veja bem, minha esposa não tem contra-cheque, o responsável pelo pagamento do aluguel sou eu, por que não vale uma cópia simples dos documentos dela?

Porque o “jurídico” disse que não! Ah, bom, se o jurídico diz que não, porque não…

Lá vou eu enviar as coisas pelo correio, correspondência especial carésima que sempre demora anos para ser entregue do mesmo jeito pelos correios brasileiros. Para complicar, em época de eleição, quando os correios estavam comprometidos, legal e ilegalmente, em enviar propagandas políticas. Claro que cheguei ao Brasil antes da correspondência, como era de se imaginar.

Mas não era a única pendência, porque além do calhamaço de documentos para entregar, ainda havia aquela figurinha especial e tipicamente brasileira: o fiador!

Ah, mas não tem fiador em outros lugares do mundo? Não! Geralmente, tem uma fiança, que é um valor antecipado que você paga e o proprietário te reembolsa no final do aluguel.

Luiz tentou pagar um ano antecipado, para evitar o maldito fiador. O proprietário até aceitou, mas o jurídico… sabe como é… não podia ser feito porque blá, blá, blá… algo como o proprietário não poderia tirar o locador antes de um ano (lógico, por isso o aluguel era de um ano, certo? E mesmo que fizéssemos algo que justificasse uma saída, se ele entrasse na justiça, o que ele conseguiria mais rápido do que esse prazo?).

Muito bem, felizmente, Luiz conseguiu que a empresa onde trabalha fosse fiadora. Olha que maravilha? Qualquer proprietário deveria babar com uma empresa grande sendo fiadora, certo? Pois bem, aceitar, aceitaram, mas precisava assinatura do presidente da empresa, dois diretores e do departamento jurídico! Tudo isso, obviamente, reconhecido em cartório!

Novamente, Luiz argumentava inutilmente, caríssimos, essas pessoas assinam contratos de “trocentos dinheiros” todos os dias e ninguém pede firma reconhecida! Que vocês façam questão da minha, tudo bem… mas o jurídico disse que precisava…

E nisso, sem me liberarem a chave para visitar o apartamento! Porque eu nasci ontem, né? Lógico que estavam forçando uma barra para fechar tudo antes, porque vai que eu não gosto e desfaço o negócio!

Quando finalmente tinham tudo certo, marcaram as assinaturas finais do Luiz e do proprietário. Eu não pude ir, porque também estava acabando o prazo para entregar os documentos para a mudança e, como já estava tudo certo, fui ao cartório reconhecer e autenticar uma verdadeira bíblia de papéis! Claro, todos onde já constava nosso novo endereço!

Fiquei de pegar as chaves no fim da tarde para conhecer o tal do apartamento, depois deles fecharem tudo oficialmente.

A parte que eu não sabia, porque Luiz teve a sabedoria de não me contar, é que ao chegar para assinar o contrato final, recebeu da corretora uma notícia, assim displicentemente: há um detalhe, havia um erro em uma das páginas, algo pequeno entre a imobiliária e o proprietário que não muda nada no contrato, então, nós tiramos essa página e tem que substituir por essa aqui… ou seja, precisa nessa página pegar outra vez as suas assinaturas e dos fiadores…

Hein?

Deixa eu explicar para quem estava distraído, a mesma imobiliária que pentelhou nos mínimos detalhes para fechar o negócio, pegou um contrato assinado, tirou uma das folhas, rasgou e substituiu por outra! Isso legalmente significa que todo o contrato foi invalidado! Para voltar a valer alguma coisa, Luiz precisava, novamente, das assinaturas do presidente, dois diretores e convencer o departamento jurídico de validar aquela porcaria outra vez! Qual era a probabilidade de estarem todas essas pessoas juntas no escritório no mesmo dia? Fora que são todos pouco ocupados, né? Não tem mais nada para fazer… todo mundo estava disponível para resolver nosso problema, certo?

Não vi a cena, mas posso imaginá-la, porque Luiz rodou a baiana como a muito tempo não faz! Vocês estão loucos? Como é que vocês fazem uma coisa dessas sem me avisar nada? Se precisasse fazer uma correção, principalmente algo entre vocês, bastava um adendo! Esse contrato agora vale papel de limpar a bunda! Não vale nada! Agora preciso voltar a conseguir assinatura de todas essas pessoas! Quanto tempo vocês acham que o presidente da empresa tem para um problema pessoal meu? E vocês tem sorte que não é minha mulher que está aqui (que bonitinho, meu marido! Que orgulho!), porque se vocês acham que estou bravo, vocês não viram nada! Vou tentar, mas não garanto e se não conseguir, o negócio está desfeito e foda-se!

Levantou e foi embora com o pessoal da sala de olhos arregalados e sem saber onde enfiar a cara! Na verdade, ele foi bem razoável, porque acho que eu teria ameaçado processá-los por falsificação de documento e exigido que reembolsassem todos os gastos que tivemos até aquele momento em cartórios! E não teria fechado negócio!

Portanto, melhor que tenha sido ele a resolver, porque a verdade é que deu uma sorte incrível! Sua assistente é super eficiente e conseguiu todas as assinaturas enquanto ele participava de uma reunião. Pequeno detalhe, isso tudo com os responsáveis da imobiliária ligando para se desculpar pelo ocorrido e ele dizendo para pararem de atrapalhá-lo porque ele estava ocupado!

Bom, saindo dessa reunião, voltou à imobiliária, com todos ainda lá, com aquela cara de nádegas! Fecharam o negócio naquele clima delicioso e as chaves foram liberadas.

Só à noite, depois de tudo resolvido, ele me contou o ocorrido! Ignorance is bliss! Por um lado, fiquei chateada de não estar nessa briga com ele, por outro, acho que foi melhor assim. E acho que ele estava certíssimo em botar para quebrar! Tudo tem limite!

Daí fui conhecer o apartamento. E entendi porque a corretora forçou a barra para eu não vê-lo antes. Estava absolutamente imundo! O lugar para o fogão é pequeno, o espaço para geladeira era inadequado, dos três quartos, em dois havia móveis fixos que não podiam ser movidos. Sinceramente, minha primeira impressão foi bem ruim. Eu teria feito algumas exigências para alugá-lo, agora era tarde, paciência! Es lo que hay!

Para amenizar minha insatisfação, Luiz contratou uma equipe de limpeza que indicaram a ele. Sério, só uma pessoa não daria conta! Foi uma boa decisão, após a equipe limpar o apartamento, minha impressão foi bem melhor. Também é verdade, que estava me esforçando para ter um pouco de boa vontade. Não tinha jeito, precisava achar uma maneira de fazer nossas coisas funcionarem ali.

E com um pouco de tempo, quebra a cabeça daqui, quebra dali… achei uma arrumação bem razoável. O zelador indicou um marceneiro meio “faz-tudo”, que contratamos para tirar algumas coisas, de maneira que pudessem ser recolocadas no futuro, quando deixarmos o imóvel. Também não podemos fazer grandes investimentos, é uma moradia provisória.

Agora que mudamos, mesmo ainda sem os móveis, cada vez gosto mais do lugar. A gente vai arrumando, limpando, mudando os cheiros, melhorando a energia e, quando percebe, tem cara de casa. A rua é muito agradável, tem tudo perto, restaurantes, mercados, padaria, shopping etc.

Passado o perrengue, acho que vou gostar daqui.

5 comentários em “A delícia de alugar apartamento no Brasil!”

  1. Essa parte da história chegou a me dar angústia! Faço votos de que vocês sejam felizes aí. Vocês merecem!

  2. Bem-vinda ao caos! Nós não tivemos sorte com o fiador e tivemos que, obrigados, optar pelo seguro fiança. Nesse processo de “chegada” meu marido teve vontade de matar uma meia dúzia … Rs rs rs … Também com o pessoal da imobiliária descobri em mim uma “mala leche” que nem sabia que existia. Faz parte …

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s