Hein?

Sabe aquela teoria de que no mundo não há mais de 6 pessoas entre você e qualquer estranho que caminhe pela rua? Pois é, acredito matematicamente nela, mas desconfio que no nosso caso, devem ser no máximo uns 3 níveis de separação!

Então, vou tentar explicar, mas a equação não é nada simples!

Luiz estudou com P no colégio no Rio de Janeiro. O tempo passou e, morando em São Paulo, eu já casada com ele, conhecemos por completo acaso uma amiga de P e ele soube que ela morava em Barcelona.

P, T, A e R se conheceram quando faziam um mestrado juntas no Rio de Janeiro.

Logo que mudamos para Madri, Luiz foi a trabalho para Barcelona e fui com ele. Já que estávamos por lá, porque não procurar a P? Jantamos e assim conheci P.

P foi a trabalho para Madri e nos chamou para jantar. Mas Luiz estava viajando. Bom, ele não estava, mas eu já conhecia a P, então, fui jantar com ela.

Acabou virando um jantar de luluzinhas e P chamou mais duas amigas. Assim conheci T.

T morava em Madri e ficou uma amigona nossa!

T fazia um doutorado em Madri e, onde estudava, conheceu a D. T me apresentou D e também ficamos amigas. T se mudou para o Rio, D se mudou para Londres, mas seguimos todas em contato.

Antes de nos conhecermos em Madri, T trabalhou com C, que por sua vez, também trabalhou com R, em outro momento.

A mãe de D, durante uma viagem de avião entre Inglaterra e Brasil, conheceu R. Porque R viajava com uma filha pequena que não parava de chorar e no desespero, a mãe de D se propôs a ajudá-la. R ficou muito agradecida e durante a conversa, descobriu que a filha D morava na mesma cidade que ela. Até por cortesia, R procurou D e acabaram ficando amigas.

Por que estou contando toda essa história? Porque agora, por caminhos bem diferentes, exceto por P, nos encontramos todas em Londres!

P, quando descobriu que mudaríamos para cá, me apresentou por e-mail a A e R, que seguiam amigas. Eu, que já conhecia D, acabei descobrindo, por coincidência, que ela também conhecia R.

Conversando com elas, descobrimos que R e A também conheciam a T. T se lembrou que C morava por essas bandas e, assim fui apresentada a C.

T, que mora atualmente no Rio, não se aguentou em ver essa mulherada toda fofocando em Londres e veio nos visitar nesse feriado! Assim que, de maneira surreal, nos encontramos com T, R, A e D. Só não encontramos com C, porque estava viajando, mas mora aqui. A única que faltava era P, que agora mora em Nova York.

É mole? Mundinho pequeno esse! E para os maridos entenderem quem conhece quem da onde?

4 comentários em “Hein?”

  1. Menina, deu um nó na minha cabeça … matemática nunca foi meu forte 🙂
    Concordo com vc: esse mundão danado é pequeno mesmo.

  2. Jamile, pois até eu, que conheço esse alfabeto e faço parte da história às vezes me enrolo! Tive que escrever para me achar! rsrsrsrsrs…

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s