Nono dia: só descansar!

Hoje acordei bem, sem grandes alterações, se o humor está bom ou mau será parte da minha natureza. Até porque, a dose hormonal diminuiu consideravelmente. Ontem só tomei uma injeçãozinha de nada e um antibiótico em comprimido.

Tinha um concerto para ir na Sala Clamores, queria comparecer por ser a despedida de uma amiga querida. Mas não demos conta, mais por minha causa. Pelas 23h eu capotei e o show começava às 0h30. Para Madri, não é tão tarde, mas nesse momento para mim é.

Depois, estou um pouco desconfortável, inchada. Nada demais, mas desde ontem, ficar com roupa larga espalhada no sofá tem me parecido um programaço! Vou tentar dar pelo menos uma caminhadinha mais tarde para não ficar tão preguiçosa. Nem grávida estou ainda!

Assim que hoje tirei o dia para descansar, sem hora, sem remédio e sem grilos! E ainda por cima, feriado, ou seja, perfeito.

Minha única tarefa do dia é fazer um tipo de lavagem vaginal com Rosalgin à noite e parar de comer às 24h.

Amanhã, acordo cedinho e minha parte está praticamente feita. Agora é com os médicos, Luiz e o destino.

Teoricamente, a gente só pode dizer que valeu à pena no final, porque costuma depender do resultado. Mas vou antecipar esse julgamento para agora. Porque sim, valeu muito à pena. Como não sei se vai funcionar e posso estar bastante triste para falar sobre isso no futuro, prefiro fazê-lo nesse momento, porque é o mais adequado.

A potencial gravidez ou a falta dela é uma outra etapa, completamente diferente. E já disse outras vezes que uma guerra não costuma ser ganha em uma única batalha. E cada batalha precisa ser comemorada individualmente.

Eu fui aquela que era completamente contra a fazer qualquer tipo de tratamento de fertilidade. Achava que se viesse naturalmente bem, se não, era porque não tinha que ser.

Veja bem, cada mulher deve saber seus próprios limites e o quanto é capaz de tolerar a frustração, que sim está inerente ao processo, independente do resultado final. Não vou dourar a pílula nem dizer que é um conto de fadas, você se frustra durante o processo também e dá um nó na sua cabeça.

Outro detalhe importante, já não achava e continuo não achando que uma mulher ou um casal precise ter um filho para serem completos e felizes.

Entretanto, se você quer, é outra história. Melhor pegar o touro pelos chifres do que tentar correr dele e dar as costas.

O tratamento não é fácil, mas não é um bicho de sete cabeças, é possível. E se a ciência está a seu favor, por que brigar com ela? Por que resistir? Qual é o seu medo de verdade, porque para quase todos tem resposta. Se por um lado, o tratamento é angustiante, não tentar tampouco é tranquilizador.

Se você tem vinte e poucos anos, maravilha, você tem tempo e minha experiência não é para você. Mas se já passou dos trinta, não confie que a tecnologia vá te ajudar seguramente no futuro, nem conte com a sorte.

Um pouquinho de estatísticas, os especialistas afirmam que aos 35 anos, a fertilidade feminina é a metade da que era aos 25 anos. E que aos 40 anos, essa fertilidade cai para a metade do que era aos 35. Vou traduzir, esperar um ano quando você tem 25 anos é nada, esperar um mês quando você tem 40 anos é significativo.

Se você está na casa dos 35 a 40 anos e não engravidou naturalmente, não espere para pedir ajuda médica. E se suas chances são muito maiores com um tratamento, não resista por besteira.

Qual é o problema de você enfrentar duas semanas histérica, vai passar. Que mulher nunca sobreviveu a uma TPM? Tem que tomar injeções, é um saco, mas dói menos que a depilação, pode acreditar.

O foda é a frustração, mas vamos combinar que é o bom e velho chavão piegas de sempre, é muito melhor se frustrar por ter tentado do que ficar no “e se”. E pode acreditar também, o “e se eu tivesse tentado antes” virá e é duzentas vezes mais frustrante!

Pronto falei!

Eu não sei se vou engravidar, mas sei que hoje estou pronta para lidar com essa realidade com a cabeça resolvida.

E se tiver que vir e vier, sei que serei uma mãe melhor.

Estou em paz e agora vou curtir meu restinho de quarta-feira!

5 comentários em “Nono dia: só descansar!”

  1. Prima,
    Vou pensar em você amanhã o dia inteiro, na torcida de que tudo conspire a seu favor! Muito amor para vc e o Luiz. Beijão!

  2. Estou na torcida do que tiver que ser será e que você esteja preparada para qualquer que seja o resultado. Feliz (mesmo que por vezes frustante) aprendizado!

  3. oba, oba, oba!! vai dar certo…se bem que , a essa hora que escrevo, o certo é dizer: ja deu certo!! Catarina terá lindos primos/primas pra brincar, brigar e se divertir….ela ja separou aqui umas roupinhas q gosta muito, mas nao cabe mais, para as priminhas..bjs

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s