Blind copy, essa função tão esquecida…

Pois é, quando a gente quer enviar um e-mail, na hora de eleger os destinatários da mensagem, existe a opção de teclar em “Bcc”, o que chamamos de blind (carbon) copy ou, em português, cópia oculta.

É uma maneira de você preservar o nome e o endereço de e-mail de seus amigos que não precisam ter suas informações expostas para quem não conhece. Simples, não? Todo mundo já não sabe disso?

Acontece que a essa altura do campeonato ainda tem gente que envia mensagens para grupos enormes e de pessoas que não se conhecem entre si, com os endereços todos à mostra. Costumam ser aqueles power points deliciosos com correntes ou mensagens de anjinhos com letras que caem vagarosamente na tela até te matarem de tédio!

Muito bem, mas vamos aos fatos, porque exemplos reais são muito mais interessantes. Hoje recebi uma dessas mensagens com um montão de desconhecidos copiados em aberto, até aí, normal. Acontece que na sequência veio uma resposta, também para todo mundo copiado em aberto. A mensagem inicial era uma dessas pedindo ajuda por causa das chuvas, algo aparentemente bastante ingênuo, e a resposta foi literalmente essa abaixo:

“Não vejo por que vc passar email pra mim e pro amante da Katia – ivan … provocação?
 
Vai cuidar da sua familia e esquece a minha , ja chega a destruição q vc provocou na minha familia. 
 
Mas vc não me esquece né ?
 
Uma coisa pra vc se ocupar: Como se joga futebol sem sujar as meias ? Isso sim é problema seu.
 
Ps. Para de falar de mim pro Thiago. Me esquece.”

Ops! Que barraco!

Veja bem, pensei em poupar o nome das pessoas envolvidas, mas se ninguém poupou meu endereço de e-mail, acho que não tenho motivos, não é mesmo? Até porque, feliz ou infelizmente, não conheço ninguém envolvido no barraco! Mas busquei nos destinatários e havia “Katia”, “Ivan” e “Thiago”, que suponho serem os citados na mensagem.

Se a pessoa que enviou a primeira mensagem tinha realmente a intenção de provocar, não sei. Meu palpite é que simplesmente nem notou que estava copiando inimigos, digamos assim. Porque até hoje as pessoas não param para pensar que quem recebe um e-mail se dá ao trabalho de ler quem são os outros destinatários. E olha a confusão armada!

Tudo isso seria evitado se lá atrás alguém tivesse se lembrado de colocar o raio da cópia oculta! E veja bem, isso em uma mensagem pessoal, imagina se fosse em uma empresa? Conheço casos verídicos de gente que foi demitida!

Por outro lado, meu dia teria sido bem menos intrigante. Porque agora, como é que vou sobreviver sem saber o que a Katia fez com o Ivan? Como se joga futebol sem sujar as meias?  E quem diabos é Thiago?

14 comentários em “Blind copy, essa função tão esquecida…”

  1. Hahahaha adorei, agora tbem fique curiosaaaa srsrs me conta se tiver cenas do proximo capitulo ta? rsrsrs Beijosss

  2. Constrangedor… E o barraco caiu…
    Tipo, pergunta prá pessoa que mandou o e-mail o final da estória… As crônicas precisam de um desfecho! 🙂
    Bsts

  3. Meninas, se curiosidade matasse… estava seca e esturricada! Ivan não se defende, Katia não reclama por sua honra, Thiago não desmente… putz! Todo mundo mudo…. ahahahah…

    Luiz ainda me sugeriu criar um e-mail fake e botar lenha na fogueira, pode?

    Se souber de alguma coisa, conto para vocês!

    Besitos

  4. Menina,
    Com essa história de “como se joga futebol sem sujar as meias?”, fica claro que o Ivan é bancário. Não tenha dúvida.
    Luiz

  5. Menina,

    Vou explicar a história da relação dos bancários com as meias limpas dos jogadores de futebol, já que me parece que a Selma não captou. Você, como uma pessoa experiente, certamente já conhece a coisa.
    Acontece que todos os homens, de quase todas as profissões, têm como arranjar uma desculpa para chegar mais tarde em casa, menos os bancários. Os médicos podem ter uma consulta de emergência, uma cirurgia inesperada ou coisa que o valha. Os advogados arranjam um cliente novo,desesperado, ou a necessidade de acompanhar alguém numa delegacia. Os empresários inventam uma viagem para uma reunião importantíssima com um novo cliente. Enfim, todo mundo consegue uma desculpa, menos os bancários. Todo mundo sabe que os bancos fecham as 16 horas e o expediente interno não passa das 17.
    Fazer o quê?
    Um jogo de futebol com a turma da agência. Aí, é só tomar uma ducha, molhar a roupa com a desculpa de tomou banho vestido e chegar em casa bem pimpão. Tudo certo, menos as meias. Porque não é razoável que alguém tome uma ducha com a roupa do futebol e se dê ao trabalho de esfregar as meias.
    Aí, no pequeno detalhe, a mulher pega.
    Coitados dos bancários.
    Beijos,
    Luiz

  6. Elementar, meu caro Watson… Essas coisas eu não explico, vai que eu dô idéia para os maridos! Na-na-ni-na-não… rs 😛 Besitos

  7. Olá!!! Conheci seu blog hoje e já adorei! Fiquei sem ar de rir desta história e mais ainda dos comentários! Excelente!! Beijos

  8. srs OLha Luiz, eu já vi casos, que o homem parava o carro, com a amante do lado, e sujava as pernas e braços com areia!! Verídico!! srsrsr

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s