Madri: onde comer melhor e o que?

Faz algum tempo, estou para elaborar uma lista de restaurantes que gosto em Madri. Mas são muitos e às vezes dá até preguiça. Resolvi fazer um pouco diferente e ao invés de pensar primeiro no nome do local, dei prioridade ao prato. Em outras palavras, escolhi alguns pratos que, na minha opinião, se destacam como o melhor da cidade. E a partir daí, onde encontrá-los.

Há desde restaurantes mais sofisticados ao vendedor ambulante da madrugada. Não me concentrei apenas em comida espanhola, até porque gostamos muito de variar. Tudo que indiquei abaixo, já provei, aprovei e recomendo como o melhor que já comi em Madri.

Então, vamos lá, o/a melhor…

–                      Porção de presa e secreto ibéricos (tipos de corte de carne de porco); creme de cogumelos com ovos trufados – El Fogón de Trifón, Calle Ayala 144, 91 402 3794. Tudo que se pede no Trifón é excelente! Não tem erro! A carta de vinhos também é nota 10! É um restaurante pequeno, com meia dúzia de mesas mais a barra (balcão da frente). É elegante, sem perder a informalidade e o atendimento é diferenciado.

–                      Rabo de toro (rabada); merluza rebozada (peixe à milanesa) – Sonia, Calle de Bocángel 35, 91 725 1457. Uma taberna sin mariconadas, restaurante de bairro tradicional e de comida excelente! Possuem um ótimo cardápio, mas sendo cliente e tendo os ingredientes na geladeira, eles fazem o que você quiser! E muito bem feito!

–                      Plancha de mariscos – El Rincón de Jaén, Calle Don Ramón de la Cruz 88, 91 401 6334. Apertadinho, meio esfumaçado e informal. O atendimento é ótimo, educado e simpático! A plancha de mariscos é um escândalo! Recomendo pedir que se adicione os “carabineros” (um tipo de camarão de cor vinho, enorme e muito saboroso).  

–                      Salpicón de frutos do mar; arroz caldoso de bogavante – El Barril, Calle Goya 86, 91 578 3998. O salpicão é delicado e no tempero usam a laranja, o que dá um toque especial. Bogavante é um tipo de lagosta e para meu gosto, o arroz de bogavante é muito mais gostoso que a paella.

–                      Carne – Rubaiyat, Calle Juan Ramón Jimenéz 37, 91 359 5696. Sim, é o restaurante brasileiro e sim, é a melhor carne de Madri. O atendimento também é perfeito!

–                      Jamón Ibérico de Bellota – En Busca del Tiempo, Calle de Barcelona 4, 91 521 9801. É um bar e restaurante no centro da cidade, a porção de jamón é especial. Muito bem cortada e servida com pan tumaca (torrada com molho de tomate fresco triturado).

–                      Tortilla española – Taberna de La Daniela, Calle General Pardiñas 21, 91 575 2329. Durante o almoço, são especializados em Cocido Madrileño e no jantar servem as tapas mais tradicionais. Sou tarada na tortilla de lá! É individual, feita no ponto perfeito, tostadinha por fora e molhadinha por dentro.

–                      Croquetas – Finos y Finas, Calle Don Ramón de la Cruz 49, 91 577 9379. As croquetas espanholas mais tradicionais são de jamón, mas é possível encontrar variações como frango ou bacalhau. Nesse local eles ousam outros sabores e fazem as croquetas menorezinhas e mais delicadas.

–                      Pintxos – Taberna Txakolí, Calle Cava Baja 26, 91 666 4877. Não é um restaurante, é só o balcão com uma infinidade de pintxos (torradas com algo por cima, como lombo com foie gras, salmão defumado com cream cheese etc). O meu favorito é o pintxo de vieira gratinada.

–                      Tajada de Bacalau – Casa Labra, Calle Tetuan 12. É um restaurante tradicional, fundado em 1860, muito próximo à Puerta del Sol. Nunca fui para as mesas do salón comedor, porque o balcão é o máximo! É um local para comer de pé e informalmente, fazer uma boquinha no passeio pelo centro da cidade. A “tajada” é um pedaço de bacalhau fresco empanado e frito no azeite, que só para se ter uma idéia, eu que nem ligo para bacalhau adorei! Para os que conhecem o Rio de Janeiro, faria uma comparação mais ou menos com o Bracarense, onde você passa depois da praia e toma uma cervejinha com bolinho de bacalhau, o conceito é parecido, na versão européia. 

–                      Sashimi – Mono Noke, Calle Hernán Cortés 19, 91 522 9806.  Um restaurante pequeno, que se atreveu a ser não fumador. A qualidade do peixe é diferenciada, fresco e bem cortado.

–                      Brunch – La Tapería, Calle San Bernardo 88, 91 593 0422. Melhor checar antes, porque não servem brunch durante todo o ano, mas foi o único local na cidade que encontrei um brunch de verdade, como dios manda! Para se acordar com preguiça no fim de semana e comer com calma.

–                      Tagliolini (pasta muito fina) com trufa de temporada – La Creazione, Calle Ventura de la Vega 9, 91 429 03 87. Um restaurante italiano normal, em zona razoavelmente turística. Mas essa pasta fininha, que lembra nosso “cabelo de anjo”, com trufas, é uma coisa de loucos!

–                      Bobó de camarão com caipirinha – Kabocla, Calle San Vicente Ferrer 55, 91 532 5966. Servido no almoço de sábado, uma delícia! Atendimento bastante simpático e informal, me sinto em casa.

–                      Ostras com champagne – Mercado de San Miguel, ao lado da Plaza Mayor. Na verdade, no mercado se encontram várias lojas e parece uma praça de alimentação, mas com um certo toque gourmet, bem no coração da cidade.

–                      Crepes – Crêperie Breizh, Calle de la Madera 36, 91 522 7982. Típica casa bretã, onde são servidas galettes (o que conhecemos por crepe, mas utilizando a farinha mais escura, originária do trigo sarraceno). O meu favorito é o “escandinavo”, com salmão defumado, nata e caviar, peço para a dona me adicionar um ovo com gema mal passada.

–                      PF (arroz, feijão, carne e mandioca frita) – Olokun, Calle Fuencarral 105, 91 445 6916. É um restaurante cubano, mas para os brazucas também funciona muito bem. Às vezes, dá aquele desejo de comer uma comida caseira, aquele feijãozinho preto com arroz…

–                      Pastel de carne – Mesob, Calle Manuela de Malasaña 17 91 445 8170. É um restaurante etíope, portanto, não é exatamente o nosso pastel, mas é muito parecido. O local é simples e o atendimento bem simpático.

–                      Mixto Quente – Lanchonete da Casa do Brasil, Av. Arcos de la Victoria s/n. Uma delícia! Crocantinho, no ponto perfeito. A gente sempre come antes do ensaio do coral.

–                      Hamburguer – Mr. Dog, Calle San Bernardo 28, 91 523 5295. Abriu há pouco tempo, mas já me deixou freguesa, inclusive, acho que o dono é brasileiro. Também vendem umas coxinhas e um cachorro quente muito bons, mas o hamburguer é imbatível!

–                      Cachorro Quente (com cebola crocante) – Happy Day, Calle Espíritu Santu 11. É um micro café com uma única mesa e precisa ter sorte para conseguí-la. O lugar é mais indicado para passar e levar. Charmosérrimo, com jeitão de interior dos EUA e com ótimas tortas, como a de maçã e a de chocolate.

–                      Salada Ceasar (com frango) – Home, Calle Espíritu Santu 12, 91 522 9728.  A decoração segue o padrão americano, como se você estivesse em um trailler. Oferece hamburgueres bem honestos, o que é a proposta principal da casa, mas o ponto alto mesmo é a salada.

–                      Salgadinhos (no estilo brasileiro) – Africano que fica na porta do Oba Oba (não é necessário entrar no local), início da Calle Jacometrezo. Do lado de fora, às três da manhã, chega um africano com os salgadinhos quentinhos e bem embrulhados individualmente. O mais cobiçado é o risólis de camarão, mas o espetinho de frango e o risólis de carne também mandam muito bem! Como ele provavelmente seja ilegal, um pouco de cuidado ao divulgá-lo ou procurá-lo. Mas vamos combinar que no meio da madrugada, onde já não há lugares abertos para se comer nada, bate um bolão!

Com o tempo, pretendo ir ampliando ou atualizando a lista. Há outros restaurantes que gostamos e frequentamos, mas dessa vez, o que escolhi como carro chefe foram os pratos. E só para que conste, não ganho um tostão com isso.

Bom apetite!

14 comentários em “Madri: onde comer melhor e o que?”

  1. Chica, adoreiiiiiiiii, otimas dicas !!!!! Deu uma fomeeeeeee rssrrs, agora vi que vc pediu o pao de mandioca , socorroooo eu tbem quero . Ah, e vamos marcar um dia de PF pelo amorrrrrrrrDeeee , arroz , feijao , carne e madioca frita é tudo de bom 🙂 .
    Beijossss

  2. Didis, quando quiser! Aliás, me ofereço altruisticamente para acompanhar em qualquer uma das dicas 😛 Agora, esse arrozinho com feijão e mandioca frita… putz! Sim, acabei de provar o pan de yuka, que deve ter uns 3 milhões de calorias… rs. Bom pacas! Besitos

  3. Oi Bianca

    Ai que fome!!! Ler isso bem na hora do almoço é para abrir o apetite de qualquer um.
    Na próxima quero ir a todos, se possível, claro!

    Beijos

    Marianne

  4. Oi Bianca,

    Estava lendo e imaginando o trabalho árduo que foi fazer esta lista: teve que ir a todos estes restaurantes, provar um monte de pratos diferentes, harmonizar com um bom vinho (ou champagne como vocês gostam!). E ainda manter a boa forma… desolé pra vcs!
    Obrigada por dividir conosco essas preciosas dicas e ME MATAR DE INVEJA!
    Beijos!

  5. …hahahahahah… foi um sacrifício enorme, mas alguém precisava fazer, né? Desolé foi ótimo! Por onde você anda? Chegaremos em SP no dia 8 de agosto, minha exposição será de 11 a 25 de agosto por lá! Mas só ficamos até o dia 17. Alguma chance da gente se encontrar? Besitos

  6. Eu estou em Paris ainda. Fui ao Brasil, fiquei um mês e voltei – agora contratada! Mas daqui a pouquinho volto pra lá, estou só aproveitando mais um pouco, “raspando o tacho!”
    Em agosto não vou estar lá não, mas adorei que vc vai fazer uma exposição. Ai que pena que não vou poder ir. Não desisti de ir a Madrid, já já apareço por aí. Vcs não vão dar uma passadinha aqui não? Vem cortar o cabelo! Hahaha!
    Bisousinhos!

  7. Flavita, quando quiser aparecer é muito bem vinda! Acho que depois de setembro vamos por essas bandas, mas sem data certa ainda. Sabe como é, preciso cortar o cabelo… hahahaha… Bisous

  8. Bianca, adorei as dicas. Estou indo para Madrid dia 20 próximo e, com certeza, vou querer seguir algumas sugestões.
    Imagino o quão árdua foi sua tarefa de elaborar esta lista (risos)…
    Beijos e obrigada

  9. Oi, Juliana!

    Essa lista é de quase dois anos atrás, algumas coisas mudaram. Acho que o Finos e Finas fechou e o Kabocla às vezes serve comida, às vezes não (melhor confirmar). La Tapería continua boa, mas não estavam servindo mais brunch.

    Adiciono na lista como imperdíveis:

    – Paralelo Cero http://www.paralelocero.es/: é uma fusão da comida equatoriana com a espanhola. É de dois amigos nossos e vale provar as “croquetas”, os “llapingachos” e o “seco de galina pintada”. Calle de Villanueva, 21. Tel. 91 577 6926.

    – Café Olivier http://cafeoliver.com/: tem um sotaque francês muito legal. O Brunch nos domingos é show! Calle Almirante, 12. Tel. 91 521 7379.

    – Mercado de San Anton http://www.mercadosananton.com/: parecido ao Mercado de San Miguel, em Chueca. O diferencial é que você pode comprar os ingredientes nesse mesmo mercado e mandar preparar no restaurante do último andar. Ainda que eu prefira ficar beliscando de bar em bar 😉

    Bem vinda a Madrid!

    Besitos

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s