Música, amigos, despedidas, encontros…

Os fins de semana tem sido intensos (só para variar um pouquinho). Temos um casal de amigos queridos voltando para o Brasil e daí agendamos umas 35 festas de despedida. Assim a gente distrai a saudade e nem tem tempo de ficar triste. Vai chegando a sexta-feira e, até eu, uma festeira experiente, começo a pensar que não vou dar conta! Mas sempre damos, com maiores ou menores consequências no dia seguinte.

O contraditório, mas que faz bastante sentido, é que por saber que a lista de afazeres é longa, o medo da ressaca faz com que me preocupe mais em me hidratar, comer bem e estar boa para a próxima noitada. É assim, que a gente chuta o balde, a gente chuta, mas guardo um restinho de fôlego.

Na quinta-feira passada, tivemos aula do coral. Ensaiamos a próxima apresentação, que será no dia 8 de julho. Todo mundo cheio de alergia! Não é alegria, é alergia mesmo! Esse ano praticamente não houve primavera, a temperatura melhorou na semana passada e daí todo pólen do planeta explodiu em Madri. Resultado, um coral de fanhos! Mas tudo bem, vamos tocando o barco e vai melhorar.

Saímos do ensaio correndo e fomos jantar com um amigo que veio da Suíça. Em paralelo, era show do amigo que volta para o Brasil, então, unimos o agradável ao agradável, combinamos também com a esposa do cantor e jantamos no restaurante onde era o show. Tomei uma única caipirinha, juro!

Na sexta-feira, foi show do Maracatu FM, o vocalista dessa banda é meu professor de percussão. Como se pode notar, Madri é uma cidade bem pequena, todo mundo se conhece, principalmente os brasileiros. Pois é, uma outra amiga em comum se encarregou de fazer a maior propaganda desse show, e só nesse grupo de conhecidos, éramos 30 pessoas! Nos reunimos no bar ao lado para o aquecimento, a primeira noite do ano em que realmente senti calor, seja pela temperatura ou pelo whisky. O show foi ótimo! Verdade que de vez em quando pensava que depois de tocar com aqueles percussionistas, meu professor ia me ouvir tocar durante a semana e isso era bem intimidador. Prometi a mim mesma que iria estudar mais, se não fosse por muitas horas, pelo menos um pouco todos os dias. Depois esqueci, relaxei e me acabei de dançar.

Entrou madrugada e a fome veio junto, fomos em umas dez pessoas para o Mr. Dog, nossa última descoberta do hamburguer definitivo. E vamos combinar, para segurar a onda depois do whiskão, nada melhor que proteína e gordura! Eu me atraquei com um hamburguer com cheddar e cebola, a briga foi feia, mas ganhei!

De lá não esticamos, afinal para o sábado já estava planejado um churrasco, apelidado de churras-rave, porque só havia hora para começar. Abri os olhos pela manhã, mexi a cabeça para lá e para cá… beleza, ressaca zero! Vamos à próxima festa, o tal do churras-rave.

Levamos o arsenal de instrumentos batucadores e lá encontramos mais dois violões e gaitas. Não preciso nem contar, né? O de sempre, cantoria, batucada, cachacinha, muita água e muita coca-cola para segurar a onda com um mínimo de classe, enfim, o básico que é ótimo e diversão garantida.

Domingo, mais uma vez acordamos bem, mas também cansados. Puxamos o freio de mão um pouco para aguentar a semana. Almoçamos no Kabocla, que faz uma feijoada excelente nesse dia. Vamos combinar que um feijão com arroz faz total diferença para a recuperação de qualquer ser humano. Por outro lado, dá uma preguiça daquelas!

O resto do dia foi de morgação e de cuidados com a casa, finalmente comecei a escolher os trabalhos e quadros para cada parede. Luiz faz os furos para mim, porque sou muito perigosa com um martelo na mão! É que me empolgo e sou capaz de fazer uns rombos impressionantes!

Segunda-feira e tinha aula de percussão. Sentei o rabito no cajón e tratei de praticar antes da aula, repeti, repeti e repeti várias vezes! Não tem milagre, não sou uma gênia dos tambores, só suando muito para sair. Valeu à pena, pois mais tarde recebi meu primeiro “de puta madre”, o que em espanhol é muito bom! Fiquei toda feliz! É só um começo e tem muito chão pela frente, mas já é alguma luz no fim do túnel.

Essa semana tem mais e estou me resguardando porque é para profissionais o negócio, viu?

Começa na quinta-feira, não teremos aula porque é o aniversário da nossa maestra. Daí ela vai comemorar com um show de reagge no Siroco. Como o mundo é bem pequeno, com ela irão participar o amigo que volta para o Brasil e o professor de percussão. Conhecemos os outros músicos também, todos feras, mas falei desses só para ilustrar que o show tem tudo para virar festa de gente amiga.

Um intervalo para contar uma história, há um tempo nossa professora do coral, essa do show, fez outro em homenagem ao Cartola e uma das músicas do repertório era “Ensaboa”. O coral deu uma palhinha nessa música, foi nossa primeira apresentação em um bar. Muito bem, a segunda voz é formada por três cantoras, duas amigas e eu. Essa segunda voz é mais aguda, então a melodia cantava para a gente: ensaboa, mulata, ensaboa… e respondíamos: … tô ensaboando! Não demorou muito para virarmos “as lavadeiras”. Apelido que ficou para nós três, ou a segunda voz.

Porque contei isso? Porque “As Lavadeiras” também vão dar uma palhinha nesse show de Reagge da quinta-feira, vamos cantar “Vamos Fugir”, do Gil. Vou ser sincera, estou com um pouco de vergonha e nervoso, mas ao mesmo tempo, com vontade de fazer. É que quando a segunda voz erra, nem sempre dá para perceber, mas nesse caso, faremos melodia e bate a responsabilidade. Sei que o risco não é alto e o show não é nosso, mas tanto a casa quanto os músicos são ótimos, ninguém quer fazer feio, né? Acho que só vou relaxar na hora que terminar de cantar. Tomara que nossa música seja logo no começo, assim posso me esgoelar e me acabar de dançar tranquila depois.

Está pensando que acaba por aí? Nada, tem programação para sexta, sábado e domingo, todas despedidas do casal que vai embora.

Ai, meu deus, acho que na próxima segunda-feira entro no soro!

2 comentários em “Música, amigos, despedidas, encontros…”

  1. Affeee, até isso a gente resolve fazer juntas??? srrsrs
    Acabei de desencantar o blog com uma cronica das festas de despedidas rsrsrs.
    Beijosss cof cof cof com voz de taquara rachada

  2. …se vira lavadeira-mor! Nem me sensibilizo 😛 Até porque também tenho um pouco de tosse e uma alergia interminável! Fora que sabe o que acontece com um microfone só para mim, né? Ele me morde! Preciso de apoio morarl… heheheh… Vou lá no seu agora ler! Besitos

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s