Mudanças, mudanças e mais mudanças!

Acho que toda viagem que faço, a cabeça é a primeira a ir e a última a voltar. Há sempre esse período limbo onde estou no meio do caminho, flutuando em algum universo paralelo.

Na última noite na França, nosso amigo fez um jantar para a gente, que além de estar uma delícia, ainda serviu para me dar algumas dicas. Sempre é bom ver quem sabe cozinhar em ação, porque todo mundo tem algum truque que não é secreto, mas a gente faz tão naturalmente que não lembra de contar para os outros. Sei que foi a melhor maneira de fechar uma viagem memorável, ao redor de uma mesa bem servida.

Daí vem o que chamo de glamour da volta, que consiste naquela pilha de roupa para lavar, compras para fazer, casa para organizar… enfim, mas não é de todo mau, porque também é um tempo para encaixar a cabeça no pescoço outra vez.

Chegamos em Madri com dias bonitos de sol, algo que aprendi a valorizar já faz um tempo. O céu da Espanha é muito bonito, mesmo quando está frio. Por mais que seja apaixonada por Paris, é impossível não notar que esteve como de costume, com o céu variando em graduações de cinza. Como estava feliz e ocupada, não chegou a me afetar, mas afetou meu gato, que apesar de se comportar muito bem, estava tristinho no final da viagem. Para o Jack, fez falta a luz e mais ainda o Luiz, eles dois me lembram que alguma rotina é importante.

Luiz foi nos buscar e ajudar a trazer a bagagem de mais de 40 dias. Viemos de trem, mais ou menos doze horas de viagem em uma cabine privada. Gostei, apesar de ser menos romântico e mais balançante do que imaginei. Mas preferi do que o avião, que chega tão rápido que não me daria tempo de mudar o canal. Jack não adorou a viagem, mas não causou nenhum problema, ficou grudado comigo praticamente a noite toda. Quando chegou em casa, nosso felino arrebitou logo o rabo, feliz da vida, dormiu praticamente três dias sem parar e quase sem querer sair do quarto. Agora está normal, ronronante, e já encontrou todas as frestas de sol que atravessam o apartamento.

Ainda de Paris, conversei com a amiga imparável que se dizia meio paradinha, temos mais ou menos aquele efeito da pólvora e o fósforo, que isoladamente são quase inofensivos. Enfim, resolvemos que seria bom uma festa para encontrar o pessoal, afinal de contas, não sei o que deu nesse ano, mas cada um foi para um lado diferente do mundo. E por que não outro reveillon?

Então tá, né? Marcado para o final de semana seguinte ao da nossa chegada, o reveillon em fevereiro. Todo mundo de branco, com direito a abrir champagne e pular as sete ondas (pode acreditar, nós pulamos!). Marcamos a festa durante o dia, a partir das 14:00hs, para não assustar muito os vizinhos com a nossa volta.

Pelo meio da semana, descobrimos que precisaremos deixar nosso atual apartamento. Pois é, outro capítulo da velha saga mudança de endereços, pois de uma só tacada aumentarei logo dois na minha lista, o de Paris e o próximo. Tenho que rever minhas anotações para confirmar se iremos para o número 35 ou 36!

Munidos dessa informação e, portanto, menos preocupados em incomodar os vizinhos, o ensaio para a batucada do carnaval foi liberado. Não sei como não fizemos chover nesse dia! Mas que foi uma delícia rever os amigos, isso foi. Infelizmente, o couro do meu tantam amanheceu todo furadinho, acho que alguém batucou com anel, sei lá, pelo menos não afetou o som. Agora precisamos pensar na festa de despedida dessa casa, mas melhor encontrar um lugar para morar antes.

Não está fácil, porque esse apartamento é muito bom e tem uma relação de preço, tamanho e localização quase imbatível. Por outro lado, tem uma coisa que me chateia há algum tempo, ele é objeto de disputa em um divórcio e nós não estamos nem um pouco afim de ficar no meio desse fogo cruzado. Já tivemos que mudar de telefone, já acordei com a polícia na porta para confirmar quem mora aqui, enfim, já deu. Não me apeguei ao local, só estou com um pouco de preguiça para achar outro.

No domingo, logo após nosso reveillon fora de época, não levantamos muito tarde. Um pouco de ressaca, mas nada tão grave, só cansaço mesmo. De qualquer forma, queria passear de carro pela cidade e ver se sentia alguma preferência diferente por algum novo lugar para morar. Chegamos a ver fora de Madri também, pensamos na possibilidade de uma casa mais afastada, considerando que minha carteira de motorista agora é válida aqui. Mas logo no caminho vi que não estou preparada psicologicamente para uma vida não urbana. Acho que estava esperando aquela cidadezinha linda e charmosa do interior da França, coisa que só existia na minha imaginação. Uma parte considerável dos pueblos não tem muito mais charme além do que as pessoas guardam na memória afetiva.

No comecinho da noite, ainda fomos para o Kabocla, no show de despedida de uma amiga que está voltando para o Rio. Mas uma que se vai e nem posso ficar mais triste, é egoísta não querer que as pessoas sigam seus caminhos e já vi tanta gente chegando e partindo. Sinto saudades, mas realmente aprendi que é bom ter amigos espalhados pelo mundo que nem é tão grande assim. Se eles estão bem, por que eu não ficaria?

Definitivamente, esse ano iniciou com um poder de mudança impressionante. Sorte de quem perceber a onda e pular na sua crista.

4 comentários em “Mudanças, mudanças e mais mudanças!”

  1. Nossa chica, realmente esse inicio de ano é de mudanças mil !! Affeee. Nosso revellion em fevereiro foi oooooootimooooo!!!!
    Ja estava com saudadesssssssssssssss, realmente isso aqui tava meio “xôxo” (assim se diz na minha terra) sem a tua presença!!!
    Mas la vamos nós de novo pra avenida , iebaaaaaaaaa, sabadao !!!
    Domingo nao demos conta de ir pra lá, fiz almoço em casa , familia foi e lá ficamos morgados.

    Beijos

  2. Oi Bianca que bom que vc voltou, te echava de monos, bom mudar adoro mudança, inclusive adoro mdança de casa, vc deve conhecer mas o maior portal de aluguel e vendas de imoveis de España è o Idealista è sò entrar e vc seguro encontra o que quer.
    Se vc esta en Salamanca, te aconselho que nao saia dai dificil se acostumar em outro lugar, se quer mudar radicalmente e pra menos claro vem pra Galicia, vc pode morar em Vigo de frente pra praia de Samil, vai se sentir em casa, quem sabe um dia vc vem morar na Galicia. Bem um beijo.

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s