Paris e eu

Paris e eu temos um assunto eternamente pendente. Toda vez que vou é como se a cidade dissesse que continua me aguardando, sabe que sou dela, mas preciso aprender outros lugares. Hoje não estou afim de contar, mas tenho alguns ciclos selados em Paris e não tenho certeza se foi por acaso ou o inconsciente me levou. Nem importa. Sei que ela começa a me chamar.

 

Na quarta-feira à noite vou para lá e já estou feliz em saber que está perto. Nem me faz diferença se os dias estiverem cinzas ou os parisienses de mau humor, ali sou protegida.

 

Uma vez, não me lembro porque, Luiz me chamou para ir com ele e não sei que raios me deu que comecei a pensar se dava ou não, se devia ir mesmo. Ele olhou para minha cara assustado, você está na dúvida se quer ir a Paris? Começou a me sacudir dizendo, sai desse corpo que não te pertence espírito malígno, deixe a minha mulher em paz! Ufa! Ainda bem que ele tomou uma providência, acordei daquele transe malévolo, e claro que fui!

 

Dessa vez, ele não precisou me tirar de nenhum transe absurdo. Quando disse que tinha um treinamento de dois dias por aquelas bandas, levei quase meio segundo para dizer que ia junto. Ainda mais sendo quinta e sexta, ou seja, poderemos aproveitar a noite de quarta e o fim de semana.

 

Na sexta, vamos jantar na casa do amigo francês que nos prometeu um super mega foie gras plus. Ele está me ajudando a encontrar um curso de gastronomia para eu aproveitar melhor o tempo. Talvez a gente consiga encontrar outros amigos também, espero que sim.

 

Queria voltar ao restaurante de Montparnasse, onde celebramos nosso aniversário de uma década de casados. Isso foi há pouco menos de seis anos e me sinto como se houvesse sido em outra vida de tanta coisa que aconteceu nesse período. Como será jantar lá agora?

 

Quero passear pelo Pompidou com meu bloquinho de desenho, depois me perder um pouco até chegar na Place des Vosges e comer por ali.

 

E está bom de planos. Acho que só quero mesmo é estar lá com o Luiz.

9 comentários em “Paris e eu”

  1. Oieeee Bi!!

    Bem, termino minha sequência de três comentários com este último texto seu.

    Paris… putz! Também sou louca por aquela cidade. As duas vezes que estive lá – pouco, eu sei – me senti em casa. E tenho uma vontade louca, mais do que em qualquer outro lugar, de morar por lá um tempo. Nem que fosse seis meses… sei lá. Mas como não sei exatamente para onde vai a minha vida, essa vontade fica, como outras tantas, nos planos. Um dia talvez ele saia deste estágio, de plano, para se concretizar. Ou talvez não. Mas concordo contigo que, não importa se em Paris chove ou se cruzamos com pessoas mal humoradas, aquela cidade é sempre deliciosa, não tem erro.

    Espero que aproveites muito. Cada dia. Cada hora. E Montparnasse… que maravilha. E louco isso, não? De como seis anos podem significar uma vida inteira. Sinto isso também. E até em um espaço menor de tempo.

    Faz pouco, estreou na Globo uma novela que começou em Búzios e que depois migrou, por um tempo, para Paris. Amei ver as duas cidades, as quais tive o prazer de visitar – e das quais guardo as melhores lembranças. Aproveite muito. Por ti e por mim… hehehehehehehe. Manda beijos para o Luiz… e que vocês tenham uns dias em Paris maravilhosos.

    Beijos e boa viagem.

  2. Hahaha ja entrei umas 20 vezes aqui pra ver se ja tinha escrito a cronica de Parisssssssssss rsrsrs
    Beijos, amanha ou hoje mesmo ainda entro umas 10 rsrsrs

  3. … ahahahahaha… não sei se me sinto lisonjeada ou pressionada!

    Pronto, tá lá! Deve estar cheio de erros de edição… hahahaha…

    Besitos

  4. Oi Bianca queridíssima, que delícia ler o que vc. escreve! Bem, eujá lhe disse que vc.precisa, logo,logo, resolver levar todas essas experiências de vida, com seus “temperos” espirituosos e inteligentes, que nos levam a vivenciar seus relatos, como se
    estivéssemos lá, junto com vc., para um livro, que sem dúvida haverá de ser um sucesso!!! e quando for lançar sua obra em S.Paulo, o fará na minha galeria area artis, ok??? falo sério!
    Aliás já esta reservado o seu período para expor suas obras de arte, em setembro, só preciso saber se no início ou se na segunda quinzena, está bem? aguardo sua resposta.
    Sabe que foi Michel quem me falou para procurar o “Buraco da Fechadura”hihihih ficou estranha esta frase, né não????pois é ele também se encanta com os seus relatos.
    Meu bem, se não me comunico sempre, é porque tenho tido muito, mas muito trabalho, na galeria, o que é ótimo, sem dúvida mas me sobra pouco tempo. Mil beijócas saudosas ANNA

  5. Oi, Anna! Que bom te ver por aqui! Setembro está ótimo! Para mim, melhor no começo do mês, te escreverei. Quer dizer que Michel que te indicou o buraco… hahahahaha… Besitos

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s