Fim de semana e feriado intensos, a gente atrai o que pede e busca!

Muitas informações! Nem sei por onde começar a contar!

 

Então, começo pela sexta-feira, que foi mais tranqüila. Tinha planos de cair na gandaia, mas mal conseguimos terminar o jantar, em um tailandês, e já estava mortinha da Silva. Sem querer dar o braço a torcer, é lógico, afinal preciso resgatar urgentemente minha fama de imparável! Mas a verdade é que estava doida para o Luiz querer voltar para casa e assim não ser eu a fugir da raia!

 

Melhor a gente aproveitar o dia amanhã, né? É, bem melhor… com certeza…

 

Papo de velho, mas tudo bem, acordamos no sábado, mais descansados e estava com vontade de viajar para algum lugar perto de Madri, para sair um pouco do mesmo ambiente e quebrar a rotina. Preferia que fosse alguma cidade que a gente ainda não conhecesse. Procura daqui, procura dali… encontrei uma tal de Miraflores de la Sierra, passando por Pedrezuela. Então vamos!

 

Pedrezuela é sem gracinha, mas Miraflores é bem bonitinha. Bastante tranqüila e com um hotel de boa estrutura para uma cidade tão pequena, onde inclusive resolvemos almoçar.

 

Valeu pelo passeio até a serra, realmente deu para dar uma carregada de baterias.

 

No caminho de volta para a casa, toca o telefone. Era meu irmão, perguntando o que a gente achava se ele trocasse milhas para a gente ir ao Brasil agora no Natal e Reveillon?

 

Como assim, macaco quer banana? Lógico que quero, mas não se empolga tanto, porque essa época é muito difícil, tanto achar lugar, como conseguir trocar milhas. Faz assim, estamos indo para casa e de lá te ligo, porque também tenho algumas milhas e a gente vê o que dá para fazer.

 

Nesse período, temos um amigo que trabalha na companhia aérea e mandei um e-mail para ele perguntando sobre essas possibilidades. Ele já me adiantou que seria complicado, mas tentaria na segunda-feira, quando fosse ao escritório. Beleza! Liguei para meu irmão para explicar isso, dizer quanto eu tinha de milhas e saber quanto ele tinha também.

 

Resumindo, quando consegui falar com ele, já estava todo mundo na casa da minha mãe envolvido, num barata voa total! Ou seja que aquela história de não levantar expectativas já tinha ido para o saco há muito tempo!

 

Olha no computador, vai para o aeroporto e blá blá blá… até que ele liga dizendo que conseguiu! Vamos no dia 24/12/11 e voltamos no dia 01/01/12. Isso quer dizer que viajamos na noite de Natal, o que sinceramente não ligo, acho Natal meio sem graça, queria mesmo era ver a família durante a semana e botar para quebrar no Ano Novo. E na volta, já emendamos da festa para o avião, já vi que viajarei de ressaca, mas quem sabe até ajude e dou uma dormidinha, né? Era assim ou não era, então, toca o barco! Fiquei toda eufórica!

 

Fui me arrumar correndo e atrasada, porque tínhamos uma festa surpresa para ir. Lógico que com essa confusão toda, perdi um pouco a hora.

 

Estou me maquiando correndo, toca o telefone. Lembra que sonhei toda uma noite com uma torta de chocolate? Cheguei a sonhar que encomendava de uma amiga que faz tortas aqui. Pois é, essa amiga leu a crônica e nem me perguntou nada, tratou de fazer uma torta do jeitinho que eu sonhei! Queria dar uma passada lá em casa para entregar!

 

Nem acreditei! Mas o pior é que estava em uma correria louca e não dava para esperar. Amanhã te ligo e vou buscar, obrigadíssima!

 

Caramba, tenho mesmo muita sorte!

 

Bom, no limite do limite conseguimos chegar na festa surpresa, antes de estragar a surpresa, cravado na hora. Foi bem gostoso, não estava tão cheio e deu para bater um papo bom. Como era cedo, sugeri que a gente seguisse a noite no El Junco.

 

Sim, meu adorado El Junco! Ficou alguns meses fechado por reforma, depois a gente nessa confusão toda, o fato é que devia haver quase seis meses que não colocava meus pezinhos por lá! Estava em plena crise de abstinência! Pre-ci-sa-va ir ao El Junco!

 

E assim foi! O mundo ainda seguia no mesmo lugar… ufa! Achei boa a reforma, só que ficou mais claro e gostava do jeitão underground que eles tinham antes. Qualquer dia desses, vou sugerir que eles apaguem uma parte das luzes.

 

Não pude tomar meu whisky de boas vindas, não estava ainda liberada para beber. Estava tomando medicação desde quinta-feira, a primeira para me provocar abertura do colo do útero e em seguida, outra que gerava contrações. Uma beleza! Era como se eu estivesse parindo há dias! Não era o tempo inteiro, mas para quem é fã incondicional da cesariana, estava no céu, né?

 

Mas se era para passar por isso, melhor que fosse aproveitando outros momentos. Na quinta e na sexta foi mais complicado. Depois a dor ficou mais tolerável, dava para disfarçar bem.

 

Tudo muito bom, tudo muito bem, e honestamente, me diverti bastante. Pela madrugada voltamos para casa. E aí, admito que o bicho pegou.

 

Depois de horas de euforia, o “bajón” foi inevitável. Impossível não bater o vitimista “por que não foi comigo” e tal. Daí Luiz foi dormir e preferi ficar lendo no computador, esperando o momento passar. Acho que ainda será assim alguns dias, mas com o tempo vai melhorando.

 

Nos últimos dias, também estava dormindo meio medicada. Primeiro, por minha conta mesmo. Minha mãe havia deixado um tarja preta aqui em casa, genérico do Rivotril (receitado para ajudar a dormir em viagem de avião). Normalmente, sou muito rigorosa com essas coisas, mas não quis nem saber, dormi uma semana à base dessa porcaria e muito bem obrigada. Depois parei para não misturar com os outros remédios, acontece que havia um analgésico forte, o Nolotil, que me apagava da mesma maneira. Nessa noite, cheguei a conclusão que qualquer coisa para dormir teria o efeito bombástico de droga dura e resolvi acabar com essa história de uma vez. Se era para enfrentar os demônios, vamos nessa.

 

E vieram todos! A noite foi  infernal, cheia de pesadelos seguidos, alguns Luiz até conseguia me acordar antes. Mas perdi a conta de quanta bobagem cheguei a sonhar. Enfim, à medida que o dia foi amanhecendo, tudo foi se acalmando e parecendo mais fácil outra vez.

 

Consegui dormir melhor e nem ouvi o interfone tocar. Era minha amiga da torta que combinou com Luiz e apareceu cedo aqui em casa. Fui acordada no domingo pelo Luiz já com um pedaço de torta de chocolate na minha frente!

 

Agora valeu! Isso sim é um sonho! O escândalo de chocolate fez seu efeito terapêutico e levantei positiva novamente.

 

Quer saber, já chutei o balde me empanturrando de torta de chocolate, então vamos até o final! Descongelei uma feijoada! Fiz arroz fresquinho e uma farofa de alho para espantar qualquer vampiro experimentado! Nos acabamos de comer feijão e ficamos morgando à tarde.

 

Mas não toda a tarde, porque havíamos combinado um encontro de fim de ano com amigos no Kabocla. Apesar da preguiça, foi bem legal. Toquei um pouco meu tamborim, batemos papo com os amigos e o tempo passou de maneira bastante agradável.

 

Segunda-feira, Luiz tirou o dia livre. É que essa semana, foi feriado na terça e na quinta-feira. Luiz tirou a segunda e a sexta, só precisou trabalhar na quarta, hoje, porque havia uma viagem marcada para Valência.

 

Mas foi bom ele estar em casa na segunda. Era o dia da minha consulta para saber se tinha alta definitiva, ou se ainda havia alguma coisa para limpar, se precisaria ir para cirurgia, enfim, não foi um dia exatamente tranqüilo. Ainda que na medida do possível, a gente leve bem, eu acho. Mas no fundo, tinha aquela sensação que minha energia e bom humor estavam se esgotando, já não agüentava mais seguir no mesmo processo. Queria que isso tudo se acabasse de uma vez por todas!

 

Almoçamos no Café Olivier, em Chueca, que está entrando para a lista dos meus favoritos. O brunch de domingo é perfeito e durante a semana também é bem legal, como se a gente desse um pulinho na França para comer.

 

Vi a garçonete servir duas taças de champagne e me deu vontade. Em todos esses dias, nem tem me dado tanta vontade assim de beber álcool, mas ali me deu. Tanto pelo líquido em si, quanto pelo tom de celebração que a champagne traz inevitavelmente.

 

Luiz achou que não tinha nada demais, mas a possibilidade de talvez entrar na cirurgia naquele mesmo dia falou mais alto. Resolvi colocar como meta depois da consulta, se tudo estivesse certo, sair para fazer compras direto e comprar uma belíssima champagne! Não quero uma tacinha, quero uma garrafa!

 

Encurtando o suspense, fiz a famosa consulta e estava tudo certo! Útero limpinho, nenhum vestígio! Nenhuma cirurgia! Acho esse médico muito bacana e tem uma maneira de tratar as coisas que me deixa calma e confiante. O fato de estar com Luiz também ajuda muito, sei que se der alguma encrenca, ele pode cuidar da parte burocrática e me deixar focada só no problema. Aliás, isso é uma coisa que reparei, a quantidade de maridos que estão presentes nas consultas. Geralmente, estou acostumada a estar sozinha nos consultórios e ver a mulherada sozinha também, às vezes, uma ou outra vai com a mãe. Mas ali, os maridos são bem presentes, achei legal.

 

O que importa é que finalmente essa etapa acabou! Não posso dizer que fique exatamente feliz, mas seguramente, estou aliviada. Não tem mais remédios nem limitações. Na verdade, tenho até boas perspectivas de futuro, mas não quero pensar nisso agora. Há três meses não temos outro assunto, chega! Aliás, recomendação médica, que não pense nisso agora mesmo, desvincular um processo do outro.

 

Fomos fazer compras, e conforme prometido, que não faltasse champagne!

 

Comemos em casa mesmo, frutos do mar. Camarão e lula no azeite, salmão defumado e blinis de caviar com queijo cremoso. A champagne eleita foi uma Taittinger Prestige Rosé na temperatura perfeita, enfurecida! E claro, mais uma tortinha de chocolate de sobremesa…

 

Pergunta se tive problemas para dormir? Nenhum!

 

Terça-feira, feriado, Luiz me acorda dizendo que alguns amigos iam comer no Rincón Baiano, quer ir? E lá vamos nós! Vou terminar esse feriado rolando!

 

Outra vez, bastante divertido. Ótimas conversa e comida! Sem falar do astral alto de costume.

 

Hoje Luiz foi trabalhar, afinal, alguém tem que trabalhar nessa casa, né? Mas quinta e sexta, novamente, temos livre. Vamos ver o que mais aprontaremos.

 

Amanhã, marquei de cortar o cabelo, quero uma mudança de visual radical! Como é bom ser mulher, a gente pode ser camaleoa a hora que bem entende!

 

Também já comecei a agitar o povo para passar Reveillon no Rio, espero que dê certo! Quer dizer, que vai dar certo eu tenho certeza, mas seria legal ver além da família, o maior número de amigos possível. Botei a maior pilha na minha mãe para fazer festa, coisa que nem foi muito complicada, porque meu irmão e ela adoram uma bagunça! Meu pai faz que gosta mais ou menos no início, mas depois ele sempre se anima e sente prazer em dividir suas garrafas de whisky estocadas.

 

Assim que vamos bem, foi um ano e tanto e nada melhor que encerrar esse ciclo na areia da praia do Rio de Janeiro.

 

Fala sério, na hora que o calo aperta e eu realmente preciso, Luiz dá um jeito de sair do trabalho quantas vezes faça falta, minha mãe despenca de casa e atravessa o oceano, meu pai trata de ficar melhor, meu irmão se vira e nos dá passagens para ir ao Brasil, os amigos estão sempre presentes das formas mais diversas, uma delas até me faz uma torta simplesmente porque eu sonhei! Vamos combinar, tenho muito a agradecer.

 

Enquanto isso, na sala de justiça… ainda faltam mais duas garrafas enfurecidas de champagne para abrirmos. Desconfio que vai mais uma para a geladeira hoje! Acho que vou bater um papinho com a viúva Clicquot…

 

Saúde!

14 comentários em “Fim de semana e feriado intensos, a gente atrai o que pede e busca!”

  1. Que bom que tudo correu bem e que você está com o mesmo alto astral de sempre, Bianca. Estou esperando vocês pra botar pra quebrar também!!!
    Ai essa viúva… manda lembranças minhas rsrsr Aliás, precisamos pensar sobre os comes e bebes da nossa orgia gourmet a 6 mãos!
    bjão

  2. Q noticias maravilhosas Bianca!!! Tu mereces. Fénix Bianca 🙂 Com certeza vocês passarão umas festas de fim de ano com muita alegria e amor***** Obrigada pela dica receitinha torto chocolate na caneca, eu tava precisando repor a serotonina perdida 🙂 meu corpo pedia. Sortuda! Q amiga querida a tua heim, torta de chocolate receita brasileira ! Tu mereces. Fica bem, besitos

  3. Ju, estou com a boca boa para nossa orgia gastronômica! Acho que a gente precisa de qualquer jeito incluir o Sr. Wellington…rs… mas também tenho outras idéias, tipo um salpicão de camarão com abacate, vieiras crocantes gratinadas com pistache, bolinho de tapioca com queijo coalho, escondidinho de bacalhoada… só não tenho idéia nenhuma de sobremesa, é meu ponto mais fraco! Mas já pensaremos! Besitos

  4. Oi, Ana! Obrigada! 🙂 Acredita nisso? Não é que me apareceu a torta sonhada entregue a domicílio assim “di grátis”! Eu cheguei a fazer o bolo de caneca de chocolate depois da nossa conversa…rs… não me aguentei! E até que quebrou bem o galho, mas nem se compara aquele recheio de brigadeiro brasileiríssimo… hummmmm… Menina, estou muito gulosa! Preciso controlar minha boca urgente! 😀 E você, vai passar as festas de fim de ano por onde? Besitos

  5. Bianca, dá p vc voltar p Brasil p abrirmos o nosso restaurante…de acordo com seu menu, pensei em vááárias sobremesas…kkkk
    Jú, vc tbm está nessa, heim! Ia dar um bom TRIO de sucesso!!rs
    bjs

  6. Dona Renata Maria, compareça à gerência! Acho um absurdo você levantar a bola e não aparecer no Rio!!! Eu NECESSITO provar aquele brigadeiro gourmet urgente! Besitos

  7. A D O R O isso de cortar cabelo e voce bem sabe disso rsrsrs estou loucaaaaaaaa pra ver !!!! E viva a vida, os amigos, a familia, os brindes e o fim de ano no RIOOOO !!!! Mas antes temos que marcar algo pro finde nè amiga? Estou com saudadesssss de uma boa farra das nossas rsrsrs. Beijossss

  8. Bianca…fico contente com tanta noticia boa.
    Coisa boa que vens ao Brasil perto de Mamis e muitos outros queridos.
    Qundo estiveres na beira do mar…olha as sete ondas hein!!!! começar o ano
    com o pé direito, com tudo que tem direito….
    SARAVÁ
    BJOS PRA VCS BILU
    SONIA

  9. Chica, vc ja esta praticamente imparável de novo!!!!rsrsrsFico super feliz de ver o alto astral. Ah, cortei cabelo hj!besos

  10. Adorei a cronica de hoje, todas as palavras sente a boa energia e fase dourada que vcs estao vivendo.
    Confesso que pequei, que tenho culpa com a torta de chocolate, mas nao podia fazer outra coisa e na comida baiana fazia tempo que nao chorava de tanto rir… que dia gostoso! O melhor, foi otimo ver a cara de vcs, o astral magico que os envolvia!
    Fiquei muito feliz de ve-los assim como sempre foram!
    Conte comigo e com minhas tortas para alegrar a vida de vocês sempre!!! Beijos!

  11. Vcs continuam a mil por hora e fico feliz por ver que conseguem desdobrar os fatos em celebracoes e uam visao muito positiva para o futuro. Siga sempre assim e desejo tudo de bom que a vida possa lhes oferecer. Por hora aproveita o papo com a Clicquot e votos de uam otima estada no Rio no ano novo. Maravilha esta viagem surpresa e ter a oportunidade de celebrar a data com seus familiares e amigos. Um grande abraco a vc e Luiz, Luciano

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s