Os obstáculos corretos!

Há cerca de um ano, tenho enveredado por um interessante caminho de canto de mantras e, em paralelo, estudado um pouco da mitologia dos deuses e deusas hindus por trás de toda essa filosofia. Acho que a analogia das histórias, em geral, nos ajuda a entender o inconsciente coletivo. Enfim, nem vou me prolongar muito nesse tema, mas vou contar rapida e muito amadoramente sobre um dos deuses mais adorados do hinduísmo: Ganesha.

Ganesha é aquele deus com cabeça de elefante, é conhecido como o senhor dos obstáculos. Muita gente devota pede a ele que abra seus caminhos. Inclusive, são os cantos a Ganesha que também abrem os rituais.

Acho a mitologia sobre sua criação muito intrigante. Há versões ligeiramente diferentes e essa é minha favorita. Ganesha é filho de Shiva e Parvati. Reza a lenda que Shiva sempre saía de casa e passava trocentos anos meditando e, quando regressava, nunca lembrava de avisar a Parvati. A deusa, por sua vez, se irritava muito em ser interrompida nos seus banhos de beleza e purificação por seu marido que chegava a hora que bem entendia.

Em uma dessas viagens meditadivas de Shiva, Parvati estava lá meio solitária e resolveu então que queria ter um filho. Veja bem, Parvati era uma deusa super poderosa, se ela queria criar um filho dela com Shiva, ele nem precisaria estar presente, ela criava e pronto! E assim, nasceu Ganesha, um menino barrigudinho, simpático e muito poderoso! E não, ainda não tinha cabeça de elefante.

Pois muito bem, Parvati foi tomar um dos seus famosos e longos banhos e não queria ser interrompida por ninguém, de nenhuma maneira! Assim que chamou Ganesha e lhe deu essas instruções: meu filho, você se planta aqui nessa porta e não deixa passar absolutamente ninguém! Sem exceções!

Ganesha, obedecendo sua mãe, se plantou na porta de casa e ali ficou!

É lógico que durante esse banho, chegou Shiva em casa, doido para entrar, e encontra esse menino na porta que lhe impede a passagem. Shiva se invoca todo e fala para ele algo como, “mermão, tá maluco? Sou eu, Shiva, um super deus! Eu moro aí, dá uma licença que vou entrar“. Ganesha, barra a entrada e avisa logo: aqui ninguém passa!

Shiva, meio de saco cheio, vai chamar seu tremendo exército e manda retirarem aquele menino da porta que ele quer passar. E lá foi o exército de Shiva, inutilmente tentar tirar o menino… e nada! Foi caindo um por um! Seu general volta e avisa a Shiva: olha, não vai rolar! Não sei quem é esse menino, mas ele é muito poderoso!

Daí com aquela confusão toda, começaram a acordar outros deuses, o pessoal querendo saber o que estava acontecendo e tal. Nisso, desce o deus Vishnu, tenta passar pelo Ganesha também… e nada!

Shiva e Vishnu já meio mordidos com aquela história e sem entender de onde vinha tanto poder, fazem um plano. Vishnu diz que vai distrair Ganesha, enquanto Shiva vai por trás e corta sua cabeça. E assim fizeram, cortaram a cabeça e mataram o pobre do Ganesha.

Bom, nisso, Parvati termina seu banho e escuta aquela algazarra toda e quando chega na porta, descobre o Ganesha decaptado. Imagina uma mãe vendo isso? Ela fica uma fera e parte para cima do Shiva: você está louco! Você acabou de matar nosso filho!

Shiva todo desconcertado, como assim nosso filho? Nem sabia que eu tinha filho! E Parvati não queria nem saber: Shiva, se vira e ressucita o Ganesha agora!

Então, Shiva chama seu exército e lhes incumbe a missão de encontrar uma cabeça para o filho. Lá sai o exército atrás de uma cabeça e encontram um elefante. Daí eles pedem permissão ao elefante para levarem sua cabeça e ele permite (o elefante precisava deixar, não podia ser uma cabeça decaptada assim sem mais nem menos).

A cabeça do elefante é implantada no garoto e ele volta à vida ainda mais poderoso e agora, com a forma que é conhecido, corpo de menino e cabeça de elefante.

Shiva e sua galera de deuses perguntam a Parvati: estamos desculpados? Assim está bem?

E Parvati diz, ainda não, exijo que a partir de agora todo o ritual celebrado se inicie com reverências ao meu filho, Ganesha! Os deuses topam e ficam todos felizes e satisfeitos!

Por isso, todos os rituais começam com saudações a Ganesha e, também por essa história, ele é conhecido como o senhor dos obstáculos. Ainda que muita gente também o chame de “removedor de obstáculos”.

E contei essa história, porque há um detalhe nessas entrelinhas que me faz toda a diferença do mundo! O real papel de Ganesha não é remover seus obstáculos, e sim te dar os obstáculos certos. Não é apenas uma questão semântica, acredito que há toda uma atitude diferente por trás disso. Hoje, quando tenho algum impecilho em meu caminho, ao invés de me irritar ou querer que ele seja removido, eu penso: pode ser o obstáculo certo.

A filosofia que guia essa maneira de pensar é que Ganesha pode remover, mas também pode te colocar obstáculos. Nem sempre o que queremos é o melhor para a gente. Eventualmente, precisamos nos exercitar e aprender a passar por dificuldades.

Eu não tenho o luxo da fé, para os sortudos que acreditam em um poder maior, é a boa e velha historinha de que um deus não te dá um problema que você não tenha condição de resolver. Acho essa frase sempre muito mal usada pelas pessoas e em péssimas ocasiões, mas o ponto é, independente da sua razão, por fé, por lógica ou por mera atitude, quando você passa a ver os problemas como os “obstáculos corretos”, sua perspectiva muda completamente.

Não sou perfeita nem tão evoluída, mas consegui estabelecer esse hábito de a cada encrenca ou aparente fracasso, simplesmente pensar: pode ser o obstáculo correto. Sinal que devo ir por outro caminho. Ou sinal que preciso me preparar melhor. Ou sinal que ainda não é agora… Enfim, automaticamente, muda minha energia e sinceramente, vejo como uma oportunidade. Pois ao invés de ficar reclamando como sou injustiçada, ou por que tudo é tão difícil, imediatamente meu foco muda para o que preciso fazer diferente. E, pumba! Minha perspectiva aumenta na hora!

E essa é uma das coisas que acho mais bacana na mitologia em geral, e nesse caso específico, na mitologia hinduísta, como a gente pode aprender com essas histórias a pensar diferente!

Além disso, ampliando-se para o canto de mantras, como essas vibrações e sons adquirem efeito de palavras mágicas.

Está com um problema? Como direcionar o foco para outro lado? Como mudar sua energia? Eu canto! Ganesha, vamos lá, me dá os obstáculos corretos e apaziguados! Oṁ gaṇapataye namaḥ! Pronto! Ganesha tá na causa, agora é comigo! O que preciso fazer para resolver?

Olha, admito que minha vida mudou muito no último ano! Lógico que não foi só por isso, é apenas a famosa ponta do iceberg, mas foi definitivamente um passo essencial para o bem.

E se melhorou minha vida, por que não iria melhorar a sua? Sei lá, se não estiver fazendo nada… da próxima vez que surgir um problemão daqueles, e a gente sabe que vai surgir, tenta o exercício de se perguntar: e se for o obstáculo correto?