26 anos de casamento, nossa primeira festa virtual

No dia 18 de março, completamos a respeitável marca de 26 anos de casados!

A pessoa aqui doida para comemorar… escolhendo qual o restaurante fabuloso e romântico sairía para jantar… viagem programada para Malta no final da semana… Luiz reservou férias… meu irmão vinha do Brasil para nos encontrar… tudo certo!

Só que não.

Pois é, não deu e todo mundo sabe o motivo. Tudo cancelado! Meu bico arrastando no chão de frustração! Reclamei, resmunguei… depois entubei, né? Fazer o que?

Daí tive uma ideia…

Havia assistido um concerto de um amigo músico de Madrid pelo Youtube e até que foi bem legal. Os músicos são de uma categoria que está penando com o raio da quarentena, afinal, como trabalhar? Por conta disso, estão buscando soluções criativas, como essa, para se manter nesse período complicado.

Pensei, e seu eu juntasse tudo? Posso ajudar uma pessoa a trabalhar, levar um pouco de distração para quem está isolado pelo mundo e, claro, meu objetivo final, conseguir celebrar, compartilhar algo de felicidade e leveza com gente querida.

E como fazer isso? Sei lá! Fomos aprendendo pelo caminho dentro dos recursos que conhecia naquele momento!

Contratamos nosso amigo músico para fazer um concerto privado no Youtube para nós e nossos convidados. Montei um grupo (gigantesco) no whatsapp, convidando para nossa primeira festa virtual! Quem eu não tinha o número de whatsapp, ainda perguntei num post geral pelo Instagram se queria participar! Pedindo um pouco de paciência aos convidados, porque um grupo tão grande gera milhões de comentários e isso assusta muita gente que não tem tempo para tantas notificações. Acho que essa foi a parte mais complicada de gerenciar. Porque dá vontade de conversar e responder todo mundo, mas seria enlouquecedor! Assim que o grupo foi criado meio que na véspera do evento.

Marcamos com as pessoas no dia da festa, exatamente no dia 18 de março, em determinado horário, para todos se conectarem ao mesmo tempo. Mais ou menos uns 10 minutos antes de começar o concerto no Youtube, liberamos o link de acesso.

Aviso que me arrumei como se fosse para uma festa de gala! Usei o mesmo vestido longo das minhas bodas de prata, me maquiei e tudo! O cara-de-pau do meu marido, só se arrumou da cintura para cima, porque disse que era só o que ia aparecer!

A partir de aí, ficamos com as duas plataformas abertas, o Youtube com o concerto para a gente rolando e a possibilidade de participar de um chat; e no whatsapp enviando fotos de onde estávamos, o que estávamos bebendo, comendo, fazendo brincadeiras… enfim, cada um buscando sua maneira de estar presente!

E estávamos presentes, nas nossas próprias casas, mas com uma energia bacana concentrada em uma única direção. E quer saber, me diverti pacas! Às vezes, até esquecia de toda essa loucura que se apoderou do planeta. Cantei, dancei, toquei meu surdo, tomamos vinho, comemos bem… exatamente o que fazemos em uma festa real! Quero acreditar que passou o mesmo com quem estava presente e, pelo menos, por um par de horas, algo de alívio e de alegria.

O retorno que recebemos dos convidados foi tudo de melhor, compraram a ideia, entraram na bagunça com vontade. Pessoal se arrumando, fazendo aperitivos de festa, pegando sua bebida, chamando a criançada para partipar, dançando de se acabar. Recebemos fotos incríveis e muito espontâneas! O concerto foi o máximo! Repertório 10, animadíssimo e dentro do espírito da festa. O fato de ser ao vivo fez toda a diferença do mundo, as pessoas conseguiam interagir, pedir música, foi realmente especial!

Foi o mesmo que encontrar as pessoas ao vivo e a cores? Claro que não! Lógico que faltaram os abraços, micos, fotos em grupo… Mas também é verdade que muita gente que “compareceu” tampouco poderia vir em uma festa presencial. Porque apareceu gente do Brasil, da Espanha, da Itália, da Inglaterra, da Holanda, da Alemanha, da Dinamarca, do Canadá, da Suíça, dos Estados Unidos, da França, de Portugal, do Japão… e devo estar esquecendo algum país, com certeza!

Meu único dilema foi não conseguir responder a todos individualmente, porque não dá tempo de responder todos os comentários, ouvir música, cantar e dançar ao mesmo tempo! Mas talvez seja como numa festa grande de verdade, em que você se esforça ao máximo para dar atenção a todo mundo igualmente, mas nunca consegue parar mais que 5 minutos com cada um! Logo tem que repor uma bebida, receber alguém que chegou ou simplesmente chutar o pau da barraca como se fosse mais uma convidada (geralmente, meu caso!). Pensando bem, não foi tão diferente assim…

Mas depois que o grupo foi desfeito, por algumas vezes eu li cada comentário, vi cada foto e ouvi o concerto que Luiz salvou. E digo o seguinte, todas as vezes que repito esse ato, fico feliz, me deixa mais leve. Ver as fotos de amigos sorrindo que não encontro pessoalmente há dias, ou meses, ou até mesmo alguns anos… não tem preço!

Agradeço à família e aos amigos que temos por um presente desses e por poder viver esse momento ao lado de alguém que amo.

Saúde!

OBS: Para quem quiser ouvir o show que o músico, Pitú, fez para nossa festa, o link no Youtube é https://youtu.be/0RY_St90eJ8. E sejam bem-vindos a uma festa virtual que aconteceu de verdade!