Como alugar apartamento em Londres e, sim, na Inglaterra também tem pilantra! Atenção!

A frequência em relação à desonestidade é relativamente pequena e ainda surpreende, o que considero muito positivo, mas existe. As maiores vítimas costumam estar entre as classes economicamente mais baixas e imigrantes, o que é normal, os abusos são sempre mais frequentes com quem não tem voz. Entretanto, ninguém está livre e é bom conhecer seus direitos.

Mas vamos começar pelo que é mais comum. A primeira coisa que você precisa decidir é a periodicidade do aluguel. Você pode alugar um imóvel como contrato de curta duração (short let), que varia desde poucos dias até 6 meses. Costuma-se pagar um valor maior para esses aluguéis, uma média de 50% mais caro por semana. São apartamentos que vem com tudo, móveis, utensílios etc. Normalmente, incluem internet e as contas (água, gás, energia… exceto telefone), pode incluir também limpeza, dependendo do acordo.

A outra opção e mais comum para quem é residente, são os aluguéis de longa duração (long let), com um período típico de um ano. Após esse tempo, você tem a opção de sair ou o proprietário pode pedir que você saia. É sempre uma negociação, mas costuma girar entre 1 e 3 anos, com uma cláusula de rompimento a partir de 1 ano (pode ser de 6 meses, mas raramente aceitam um período tão curto). Essa cláusula se chama “break-clause“. Isso quer dizer que, se você sair ou se o proprietário pedir para você sair antes de um ano, quem fizer esse pedido pagará multa contratual (e as multas são altas!). A partir desse tempo, você só precisa notificar o proprietário com 1 ou 2 meses de antecedência (tudo escrito no contrato).

Há uma outra opção de aluguél que é compartilhando com outra pessoa (shared accomodation), bastante utilizada por estudantes. Nem todo imóvel aceita, no próprio anúncio eles já dizem se aceitam ou não.

Os preços dos aluguéis na Inglaterra geralmente são dados por semana, ainda que sejam pagos por mês. Nos anúncios, eles até facilitam e falam do preço mensal, mas de toda maneira, é calculado por semana. Por exemplo, o valor é £700 semanal. Daí você divide esse valor por 7 e multiplica por 30. Seu valor mensal será £3.000 (=(700/7)*30). E não simplesmente se multiplica os £700 por 4 semanas, o que daria £2.800. A lógica até faz algum sentido, afinal, há meses com 5 semanas. Mas enfim, assim é calculado o valor. Esse preço inclui condomínio e, eventualmente, pode até incluir água ou internet, mas não é tão comum nos aluguéis de longa duração.

Adicionalmente a esse valor do aluguel, você também precisa pagar a “Concil Tax“. Que é um imposto direcionado para a região onde você mora. Conceitualmente, é como se fosse um IPTU só para seu bairro. Cada zona da cidade tem um tipo de conselho diretor, eleito pelos moradores daquela mesma região, que decide como esse orçamento será alocado. Como será distribuída a coleta do lixo, se precisa de mais policiamento, como manter os parques, se há incentivo em descontos aos moradores para frequentarem academias de ginástica, como manter centros comunitários, bibliotecas… enfim, tudo o que aquela comunidade específica demanda. Essa taxa não é nada baixa, varia de bairro para bairro e pode chegar até quase 10% do seu valor mensal de aluguel. Ou seja, é importante estar atento na hora de definir seu orçamento para moradia. É um valor anual, pago mensalmente enquanto você morar no local.

Há uma série de websites de busca para encontrar um imóvel, mas acho que os mais conhecidos são o Zoopla e o Righmove. As imobiliárias também tem seus próprios websites, mas costumam anunciar em paralelo nesses dois links.

É possível alugar um imóvel diretamente com o proprietário, mas não é tão comum. Eu acho que o risco é maior. E é aí que você realmente precisa começar a ter cuidado. Aconselho a procurar um bom agente imobiliário, de uma agência conhecida, que você veja que o escritório existe.

Porque o que acontece é o seguinte, não tem muito esse conceito de fiador por aqui, cada um é responsável por seu próprio nariz. Por isso, costumamos deixar uma “caução” depositada, atualmente, o normal é o equivalente a um mês e meio de aluguel. Mas vamos por etapas.

Depois que você visita o imóvel e demonstra seu interesse, é necessário fazer um “holding fee“, que nada mais é do que uma taxa de reserva. Isso quer dizer que, enquanto a imobiliária e o proprietário estão checando sua documentação, eles não podem seguir anunciando e mostrando o apartamento. Quando a sua documentação é aprovada, esse “honding fee” é retido e descontado do valor do aluguel que você precisa pagar sempre do mês a vencer (ou seja, você paga o mês antecipado). Caso sua documentação não seja aceita, eles te devolvem esse dinheiro.

Atenção! Cuidado quando antes de você sequer visitar o imóvel, a pessoa com quem falou no anúncio já comece a te cobrar o tal do “holding fee”. Desconfie quando o anúncio parece bom demais para ser verdade. Fotos de apartamentos maravilhosos por um preço imperdível! Não existe isso aqui, esquece! Erros gramaticais, inglês esquisito… E, principalmente, NUNCA pague um centavo antes de visitar o apartamento! Não custa dizer, verifique também se as fotos correspondem ao apartamento que você está visitando.

Muito bem, você foi visitar o apartamento e gostou? Peça o cartão de visitas do corretor (Letting Agent). Verifica se ele tem um email da empresa, se há um website da imobiliária… coisas simples, que não custam nada. Agora, uma vez que ele tenha te mostrado o imóvel pessoalmente, tenha te dado o cartão de visitas, você provavelmente já checou se a imobiliária existe… enfim, não há muito por que desconfiar. Se você se interessou pelo imóvel, melhor deixar logo o raio do “holding fee” para mostrar que você tem a real intenção de fechar negócio.

Outra coisa, o mercado imobiliário é aquecido. Caso você deixe para pensar muito ou não faça reserva, provavelmente vai perder o negócio. Não é um problema você dar condições razoáveis para assinar um contrato, por exemplo: preciso que troque o carpete que está muito usado; só alugo com máquina de lavar-louças… enfim, condições que você provavelmente até deu previamente ao corretor. Eles costumam ser bem tranquilos com isso, na pior das hipóteses, vão dizer não. Mas não conte com grandes negociações de preço. No geral, eles anunciam no valor correto para alugar. Claro que você tem todo direito de tentar baixar o preço… mas não tenha grandes expectativas.

A parte burocrática costuma levar, no mínimo, uma semana. Eles checam tudo! E, vamos combinar, está certo, né? Bom, até que aprovam sua documentação. Daí é que vocês vão assinar o contrato. Peça uma minuta para ler antes da assinatura! E LEIA MESMO!

A maioria dos contratos são padrão e muita gente parte do princípio que algumas coisas estão escritas, mas não serão efetivamente cobradas. Não caia nessa! Se está escrito, eles podem cobrar sim! Deixe claro e esclareça suas dúvidas. Não é problema nenhum você questionar cláusulas dos contratos, ninguém fica ofendido com isso!

E sim, nós já tivemos experiência com proprietária trambiqueira! Por exemplo, o apartamento havia sido anunciado com garagem, então não colocamos a garagem no contrato, porque parecia óbvio, né? Só que não… Mesmo com emails trocados com a imobiliária falando da garagem, por não constar no contrato, deu pau e ficou por isso mesmo!

Resumindo: leia, questione, corrija, negocie! Tudo preto no branco, por escrito! E só assine quando estiver realmente confortável. Está na dúvida? Busque outro apartamento, busque outra imobiliária!

Por outro lado, o contrato está certinho? Show! Esse documento existe para proteger ambas as partes.

Na assinatura desse contrato você precisa pagar um depósito fiança, como disse antes, normalmente o equivalente a um mês e meio de aluguel, mas pode variar entre 6 a 8 semanas. Adicionalmente, se paga também o aluguel do primeiro mês adiantado. E a partir dos próximos meses, você pagará sempre no mesmo dia acordado, a mensalidade adiantada. Recomendável fazer por transferência bancária, porque o comprovante da transferência funciona como seu recibo. É normal que esse depósito seja feito através da imobiliária e você pode deixar pré-agendado no banco todos os meses.

É fundamental você fazer um inventário (Inventory Check)! Costuma ser pago pelo próprio inquilino, mas vale cada centavo! São relatórios muito detalhados em relação a como você recebeu o imóvel. Às vezes, você não se preocupa tanto nesse momento com isso, mas é exatamente onde o proprietário desonesto tenta te passar a perna. Ao final do contrato, o proprietário pode tentar buscar desculpas ridículas para não te devolver seu depósito e ficar com seu dinheiro.

Nossa, e eles fazem isso? Fazem! A última proprietária trambiqueira do apartamento que moramos fez de tudo para nos passar para trás! E… se ferrou! Mas vou contar essa história na sequência. O bicho pegou para ela exatamente porque tínhamos TU-DO documentado!

O inventário é um excelente recurso para você se proteger. Outro recurso importante é o que eles chamam de “Tenancy Deposit Protection Certificate“, a imobiliária fica com o seu depósito retido como garantia durante o período de alguel. A imobiliária só pode te devolver o depósito com a aprovação d@ proprietári@; entretanto, esses proprietários também não recebem o depósito caso não provem que houve real motivo. Isso te dá o tempo de, por exemplo, entrar na justiça contra um proprietário que esteja usando de má fé.

Você pode receber orientação gratuita de como proceder nesses casos de disputa em relação à devolução do depósito em website do próprio governo, aqui.

Recomendo outro website muito útil com informações gerais em relação aos alugueis, chama-se MrSuperAdvisor.

E se, infelizmente, você precisar partir para uma disputa na corte, achei informações muito úteis nesse website da Shelter. Eles orientam a enviar uma carta com determinado modelo oficial aos proprietários, avisando que será dada entrada no processo (letter before action template). Nessa carta, a gente usa os termos oficiais, dá um prazo para resposta, diz que a partir dessa data nos damos o direito a entrar com o processo, sem maiores notificações, e que despesas serão adicionadas por conta do perdedor. Fiz igualzinho e foi batata! No dia seguinte a proprietária pilantra parou de nos ignorar respondeu à imobiliária e nos reembolsou integral. No caso, anexei os dois relatórios do inventário, de entrada (check in) e saída (check out), ou seja um documento que comprovava que entregamos o apartamento em melhor estado do que recebemos – viu como foi importante? Ela sabia que eu tinha como provar, que ela ia perder o processo e sairia mais caro que simplesmente devolver nosso depósito.

Foi desgastante, mas acho que ela agora vai pensar duas vezes antes de se fazer de engraçada novamente. Enfim, passou! Lição aprendida e espero que possa ajudar alguém que se encontre na mesma situação. Ou melhor, que nem entre em roubada parecida, porque sabe no que precisa prestar atenção.

Um pequeno detalhe que passou batido, quando receber o inventário, cheque se está de acordo. Teste os equipamentos, utensílios, tudo! E qualquer divergência, notifique imediatamente por escrito (email).

Vale dizer que só tivemos problema com essa única proprietária pilantra! A imensa maioria das pessoas é correta! Mas é aquela história, as regras e os contratos são feitos exatamente para os momentos de divergência. E eles podem acontecer.

Honestamente, cuidamos muito bem de todos os lugares que moramos! Independentemente de como somos tratados, nós tratamos as pessoas com o respeito que acreditamos ser correto. É frequente devolvermos os imóveis alugados melhores do que recebemos. Afinal, não importa por quanto tempo, pode não ser nossa casa, mas é nosso lar.

2 comentários em “Como alugar apartamento em Londres e, sim, na Inglaterra também tem pilantra! Atenção!”

  1. E o tiro saiu pela culatra…rsrsrs Como você disse, ela vai pensar duas vezes antes de aplicar a pilantragem!!!
    Mal sabia ela que tava lidando com macaca velha…rsrs Desculpa amiga, mas com a experiência de mudanças que você tem, não tinha nome mais apropriado…rsrsrs
    Show , Bibis, mandou bem!!!
    E deixou aqui um relato ótimo para que as pessoas cuidem desses detalhes!!!
    Me fez lembrar do último carro que aluguei, quando fui com os meninos pra Fuerteventura.
    Meses depois me enviam uma foto de um risco no carro com uma cobrança absurda, só que eu tinhas as fotos que fiz quando deixei o carro e escrevi na mesma hora… Nunca me responderam mas, também não cobraram 😛
    Bravo, Bibis!!!
    Beijos e Abraços 🙂

  2. Obrigada, Katita! Se tem coisa que me irrita é gente tentando fazer os outros de besta! E a gente acha que na “Europa” isso não acontece… Gente desonesta tem no mundo inteiro, paciência! E gostei da dica, vou passar a fotografar os carros também! Beijão

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s