Mudança número 47… yep!

E lá vamos nós mais uma vez! Para você que me acompanha, sabe que quando digo que é a minha quadragésima sétima mudança não é uma força de expressão, é literal!

… mas Bianca, você não se cansa de mudar não?

Canso queridos, mudar é chato e trabalhoso, juro que não procuro, simplesmente, não reajo contra. Se é para ir, vamos e pronto! Ainda que, admito, com toda a experiência desenvolvida ao longo desses anos, é bem mais fácil para a gente do que para a maioria das pessoas normais.

Encurtando o suspense, ao final do mês de agosto, mudaremos para Windsor, cidade onde fica o famoso Castelo de Windsor, ou melhor, a casa da rainha.

Mas para os que, como eu, gostam dos detalhes, vou contar a história desde o começo. E adianto que, só para variar, foi outra saga!

Vamos do início, quando achamos esse apartamento que moramos atualmente ficamos bastante felizes por alguns motivos. Primeiro, era no mesmo edifício em que morávamos, assim seguia perto do nosso vizinho que já virou família. Segundo, era mais barato e, finalmente, porque tinha varanda. Além do que, sendo no mesmo prédio, a mudança foi bem mais simples.

Quando recebemos as chaves e entrei pela primeira vez no apartamento vazio, me dei conta que ele havia sido deixado bastante sujo, diferente do que nos haviam dito. A proprietária nos disse que haviam feito uma limpeza profissional! Bom, só se o profissional era um açogueiro, ou quem sabe, um encanador! Porque profissional de limpeza… certamente não era.

Para completar, percebi detalhes bastante desagradáveis que não pudemos notar nas visitas ao imóvel. Por exemplo, o esmalte do vaso sanitário por dentro já descascando, azulejos quebrados… enfim, coisas básicas e que você nem gasta muito dinheiro para consertar, mas que demonstravam o desleixo que a proprietária tinha com o imóvel.

Felizmente, tudo registrado no inventário de quando entramos. Assim, temos um documento oficial de como recebemos o apartamento.

Tive o pressentimento que não havia sido uma opção tão boa assim. No fundo, nem falei nada para Luiz, mas havia me arrependido de cara pela troca. Porém estava feito, então o jeito era fazer com que se tornasse um lugar mais bonito, limpo e com uma energia melhor. O que acho que conseguimos.

Em paralelo a isso, nós havíamos alugado um apartamento com direito à garagem. Como não temos carro, perguntamos se ela nos daria um desconto e poderia alugar a garagem para outra pessoa. Ela não aceitou. Ok, então, ficamos sem o desconto, mas obviamente, com a garagem! Isso foi registrado em uma série de emails, mas não colocamos por escrito no contrato de aluguel, afinal, o apartamento já havia sido anunciado com a vaga, certo?

Deveria ser óbvio, só que não. Logo que recebemos as chaves, não nos passaram o controle remoto da garagem. Como não tínhamos carro, não tivemos nenhuma urgência em reclamar. Estávamos ocupados com outras coisas. Daí, mais ou menos um mês depois de mudar, íamos dar uma festa e quis pegar os controles para um casal de amigos poder estacionar o carro.

Para nossa surpresa, a proprietária se negou a entregar, disse que alugamos o apartamento sem garagem e o filho dela estava usando a vaga.

Oi?

Trocamos “trocentos” emails, mostrando as mensagens e provando que o apartamento foi anunciado com a vaga etc… e não adiantou nada! Ela simplesmente ignorava as mensagens e a imobiliária lavou as mãos! É surreal, eu sei, mas foi exatamente o que aconteceu.

Poderíamos ir para justiça brigar, mas quem quer passar por todo esse perrengue, sendo que nem temos carro! Era o desaforo, porque certamente ela alugou essa vaga para outra pessoa e ganhou de nós e do outro, né? Decidimos que assim que vencesse a cláusula de um ano de contrato para deixar o imóvel sem multa, sairíamos daqui.

Houve outros detalhes que vou poupar a paciência de vocês, mas que deixaram claro a atitude desonesta da proprietária, que sempre se fazia de desentendida para levar vantagem em tudo. Resolvemos tentar não nos aborrecer, começamos a buscar novos lugares para morar e mudaríamos de casa em 27 de junho, quando fazia um ano de contrato. Nem um minuto a mais!

Como Luiz estava trabalhando muito de casa, começamos também a pensar na possibilidade de sair de Londres, porque é bastante caro morar aqui. Poderíamos aproveitar e mudar para uma cidade mais legal e onde poderíamos estar em um apartamento ou casa maior.

Decidimos que seria Brigthon, porque a cidade é uma graça, tem praia, vida noturna agitada… enfim, tem vida e nos sentimos muito bem lá.

Maravilha, tudo decido… tudo certo… estoura o raio do COVID! Quarentena e o escambau! Ninguém sabendo o que aconteceria no mundo! Paramos tudo e resolvemos ficar bem quietos por aqui mesmo, fazer o que? Nem tinha a possibilidade de ver imóveis, muito menos fazer uma mudança. Fora que a gente não sabia se teria emprego, se continuaríamos aqui, estava tudo muito confuso para encaixar uma mudança no meio!

Chegou junho e os ventos começaram a se acalmar. Como quem não quer nada, comecei a olhar se havia outro imóvel aqui perto do nosso, na mesma rua, quem sabe…

Incrivelmente, vagou outro apartamento no mesmíssimo edifício! Praticamente o mesmo valor, melhor conservado, maior um pouquinho e uma posição melhor no prédio, de frente para o Tâmisa.

Lá fomos nós ver o apartamento, de máscara e tudo! Não seria uma mudança tão complicada e nos livrávamos da proprietária uruca!

Assim foi, fizemos a proposta, o proprietário do outro apartamento topou e demos o aviso aqui que sairíamos. A gente precisa avisar com dois meses de antecedência quando vai deixar o imóvel.

Tudo muito bom, tudo muito bem, as fronteiras começaram a se abrir e fomos para Portugal, para casa dos nossos primos. Ando com um olho grande para morar por aquelas bandas e queria visitar algumas possibilidades. Viagem ótima! Aproveitamos bastante, mesmo seguindo todos os protocolos de segurança. Eu já entubei o novo normal e vida que segue! Cumpro os protocolos automaticamente e tudo bem!

No finalzinho da viagem, recebemos uma notícia bomba: o proprietário do apartamento que íamos nos mudar desistiu de alugar, preferia vender! Só que havia passado quase um mês e já havíamos anunciado que saíriamos daqui!

…e a gente vai para onde agora?

Poderíamos pedir para continuar no apartamento que estávamos, mas vamos combinar, como todo o histórico acima relatado, a gente não queria mais ficar aqui! Não tinha mais clima! Conto os dias para ir embora como uma presidiária!

Sendo assim, toca a procurar outra casa no meio dessa confusão do vírus!

Nesse caso, resolvemos abrir o leque da localização e saímos dando tiro para todo lado! Apenas uma coisa estava decidida, queríamos um apartamento de três dormitórios, seja lá onde fosse!

Na verdade, apesar de toda preocupação, a confusão do COVID acabou jogando um pouco a nosso favor, porque os preços de aluguel reduziram e tínhamos agora a oportunidade de alugar em lugares que eram mais caros antes.

Na nossa lista reduzida de lugares, os finalistas eram um apartamento em Brighton e uma casa em Windsor.

Nosso primeiro favorito era o apartamento, bem de frente para o mar, um tamanho ótimo e cheinho de armários! Fizemos proposta super felizes! Só havia um probleminha, o prédio não aceitava animais! O dono do apartamento até tentou negociar com o condomínio, queria alugar para a gente, mas após uma semana, o condomínio negou de vez.

Havia ainda a casa em Windsor. Nós havíamos gostado, mas em comparação ao apartamento, ela perdia. Os quartos são um pouco pequenos e acho a cidade de Brighton mais animada. Daí ficou um pouco daquele gosto de perda no início.

Mas sabe de uma coisa, a gente não é de sofrer pelo leite derramado. Se não der, não deu, paciência. A semana que levou para o condomínio de Brighton votar se poderíamos morar com os gatos ou não também serviu para pensarmos na casa com outros olhos. E a verdade é que a casa também tem muitas vantagens. Serão três quartos, que mesmo pequenos, oferecem bastante mais espaço do que temos hoje. A cozinha é ampla e clara e tem portas francesas que dão para um jardim pequeno, de fácil manutenção, bem charmoso e com a possibilidade de fazermos churrasco, coisa que a gente adora! Vamos combinar que esse ano está meio que perdido mesmo e ainda teremos meses pela frente de limitações. Estar em uma casa ajuda muito!

Windsor não tem a mesma balada de Brighton, mas a noite está bastante prejudicada de toda maneira. Os clubes e casas noturnas nem estão abrindo ainda! E na vida diurna, acho que não perde em nada, pelo contrário. Temos uma série de passeios ao ar livre que poderemos fazer a pé ou de barco. E a cidade é mais elegante, digamos assim. Além de bem mais próximo para o Luiz, caso ele tenha que voltar a trabalhar no escritório alguns dias da semana.

Adicionalmente, também temos amigos muito queridos que estarão mais perto e ficaram super felizes da gente ir para lá. A empolgação deles me contagiou, comecei a imaginar os encontros e as coisas que podemos aproveitar pelas redondezas.

Ou seja, no fim das contas, acho que foi a melhor opção mesmo! Assim que, nos quarenta e cinco minutos do segundo tempo, achamos uma casa para ir!

E agora que contei a saga de achar moradia, tem a outra mini-saga da realização da mudança. Em princípio, como nós íamos nos mudar dentro do mesmo edifício, nem precisava contratar ninguém, era fácil! Mas para outra cidade, a coisa muda de figura e assume novas proporções.

Lá foi Bianquita cotar empresa de mudança! Já havia começado a ver alguns preços, mas não podia ir muito além, porque nem a cidade para onde mudaríamos estava definida! Seria uma história muito difícil de explicar. E agora, estava super corrido para pesquisar e negociar. Tive que fechar meio que às pressas, porque era literalmente o último dia para poder reservar espaço na rua em Windsor para fazer a mudança. Esses procedimentos burocráticos tem prazos rígidos a serem seguidos. Novamente, fechamos em cima do gongo! Mas fechamos!

Talvez pudesse negociar melhor preço, mas à essa altura, estou feliz em conseguir resolver. Da onde veio esse, virá mais! Deixa a economia girar, paciência!

Só outro detalhe, disse que estamos seguindo a vida normalmente, mas lógico, estou falando do novo normal. Eu não me arrisco mesmo! A gente segue os protocolos direitinho!

Portanto, não quero nem saber de ninguém aqui em casa empacotando e manuseando nossas coisas. Fora que sabe-se lá de onde vem as caixas, que costumam ser reaproveitadas. Seguro morreu de velho…

Isso quer dizer que quem está empacotando tu-do sou euzinha mesmo! Comprei as caixas e o material pela Amazon, saiu inclusive mais barato do que usando o da companhia de mudanças. E, vamos combinar, modéstia às favas, garanto que tenho mais experiência do que qualquer empacotador profissional no mercado! Fora que vou fazer com muito mais cuidado.

A gente muda no dia 29 de agosto. Comecei a empacotar tudo ontem, dia 10. Assim faço com calma e organização. Não precisava estar fazendo o calor duzinfernus que está fazendo agora, mas penso que isso deve estar me ajudando a emagrecer, pronto!

Pensando seriamente em fazer uns tutoriais sobre mudança! Será que posso ganhar dinheiro com isso?

8 comentários em “Mudança número 47… yep!”

  1. Muita sorte pra vocês na nova casa! Sei que estarão felizes em qualquer lugar do mundo…. E dentro do novo normal, como vc disse uma casa é muito más agradável. Beijos e muito ânimo amigos! Partiu 47! 😘💋

  2. Com certeza! Vc tem experiência de sobra para dar boas dicas sobre mudança. Que a mudança seja leve (eu me estresso pra caramba nos ‘durantes’, mas amo a fase de organizar tudo na casa nova). E que sigam sendo felizes na nova morada (vcs e a duplinha que vai amar a fase de caixas vazias dando mole pelos comodos) kkkk
    Bjinhos!

  3. Oi, Tati! Sim, os gatos estão se sentindo ricos com tanto papelão pela casa! 😀 A felicidade felina com as pequenas coisas… ai, ai… Confesso que estou um pouco estressada também, mas concordo, a parte de organizar tudo na casa nova é bem legal! A parte de me livrar do que não tem mais serventia também! 😉 Obrigada! Beijo

  4. Nossa… não sabia de toda a saga… bizarro! Mas olha, eu sim acredito que o vento leva pra onde temos que estar. Então tenho certeza que o tempo em Windsor será incrível. So não concordo com uma coisa que vc escreveu. Acho ir a vida noturna em
    Windsor e fantástica. Muitos pubs e restaurantes maravilhosos, vários lugares legais e beeeeem pertinho da casa nova. Acho Brighton muito legal mas acho que o inverno em Windsor é super! Beijos e feliz de ser tua nova vizinha 😘

  5. Oi, vizinha! Jura? Bom saber que há vida noturna legal em Windsor, mais um ponto positivo para lá! 😀 E concordo contigo, se o vento levou para lá, vamos junto e vai ser show! Beijão

  6. Bianca, seja feliz na nova casa e que corra tudo bem na mudança. Eu acredito que nada acontece por acaso em nossas vidas, portanto, essa casa em Windsor já estava reservada pra você. Beijos!

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s