Relacionamentos que terminam

Muita calma nesse momento, não estou falando do meu (isola!). Mas nos últimos meses, tenho recebido notícias sobre alguns casais de amigos queridos que se separaram ou estão nesse processo.

Até aí, normal, faz parte da vida, ou deveria fazer, só que há casais que você não espera que isso aconteça. Imagino que, em condições normais de temperatura e pressão, todos (ou quase todos) casais que assumem um relacionamento acreditem realmente que queiram ficar juntos, pelo menos no início. Mas para quem está de fora, costuma haver alguns que parecem mais prováveis de funcionar. E, principalmente, depois de algum tempo juntos, quando você sabe que passou a fase da paixão, da empolgação, e a relação amadureceu, fica aquela sensação de “prova superada”, agora vai planando em voo tranquilo.

Infelizmente, nem sempre é assim e fico triste quando sei que aconteceu uma separação entre casais. Por mais que não tenha nada com isso, por mais que saiba que muitas vezes seja melhor, por mais que nem veja as pessoas com tanta frequência, por mais que o universo siga seu curso… me bate aquela sensação de que o mundo saiu um pouco do lugar.

Sabe quando você lê aquela notícia sobre um acidente grave que ocorreu em um caminho que faz parte da sua rotina? Por algum motivo, você não passou lá naquele dia, mas poderia haver passado, poderia ter sido com você… poderia ter sido comigo.

Procuro não me influenciar ou buscar um lado positivo. No fundo, há algo de alívio culpado em pensar que não foi comigo. Será que estou me comunicando bem? Será que dou o suficiente? Será que está certo? Tento usar como alerta e rever se estou fazendo direito meu papel.

A questão é que nem sempre há o que fazer ou exista algum culpado, às vezes, simplesmente os caminhos se dividem. Triste, mas fato. E deve ser muito duro revisitar tantas histórias e buscar onde estaria o erro ou o que poderia ser feito diferente. Talvez, ou muito provavelmente, não houvesse o que ser feito de outra maneira, as pessoas são o que são. É possível que nem valha a pena buscar esses potenciais enganos, para que apontar dedos se esse bonde já partiu?

Mas há vezes que ainda dá tempo. E, o melhor dos casos, talvez a crise ainda não tenha chegado. Então, não espere ou conte que não chegue, se não chegou, ela vai chegar! Pode ser fraca ou forte, breve ou duradoura, pode até passar batido e te errar, quem sabe… mas ela vem.

Não trate sua relação como garantida, não há garantia de nada nesse mundo! Não existe amor absolutamente incondicional, ele precisa ser cuidado, alimentado, regado. Eu decido continuar casada todos os dias, nos alegres e nos tristes, nos fáceis e nos difíceis. Há 25 anos eu decido que sim e que assim seja.

Mas se não for o caso, que assim seja também, que as pessoas sigam seus caminhos em paz e com mais experiência para compartilhar amor. Afinal, ninguém melhor do quem perdeu para valorizar o que é importante. Que possam entender que o que passou deu certo, pelo menos pelo tempo que tinha de ser.

E, mais do que tudo, mesmo que o amor “não seja imortal, posto que é chama”, que o respeito “seja infinito enquanto dure”.

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s