Comida indiana em Londres, manual básico para iniciantes

Engraçado como algumas comidas são tão incorporadas em determinadas culturas, que parecem que sempre pertenceram a elas. Por exemplo, no Brasil, alguém para e pensa qual é a nacionalidade do “beef stroganoff”? Claro que não, né? Já virou “estrogonofe” há muito tempo! Às vezes, é até “PF” no cardápio de restaurantes brasileiríssimos!

Algo similar acontece entre a relação da comida indiana e Londres. A ponto de conhecer muita gente que vem visitar a cidade, quer comer algo típico e, lógico, pede dicas de restaurante… indiano!

A verdade é que a comida indiana faz todo sentido aqui por diversos motivos, desde o clima dos cinzentos dias britânicos à colonização e imigração no país.

Nossos outonos e invernos podem ser complicados, a temperatura cai bastante, os dias ficam muito curtos, anoitece às 4h da tarde! É comum para algumas pessoas desenvolverem a depressão de inverno pela perda de luz. Nesse caso, a alimentação pode ajudar bastante e comidas condimentadas cabem perfeitamente nessa dieta. E, como curiosidade, as pimentas fazem o corpo produzir endorfinas, efeito parecido a quando praticamos esportes.

Sem falar da falta de sabor da comida inglesa no passado (já melhorou muito, mas esse é outro assunto). E, completando, a abertura que a cidade oferece aos diferentes sotaques e culturas, nesse caso específico, aos indianos.

Aos puristas, peço desculpas antecipadas. Sou brasileira meio espanholizada, não fui à Índia (ainda) e tudo que conheço a respeito dessa gastronomia, aprendi em Londres, onde certamente sofreu algumas adaptações ao paladar local. Ou seja, é o filtro do filtro! Não venho dar lição para ninguém, só tento facilitar um pouquinho aos novatos por essas bandas e compartilhar um gosto que adquirimos. E digo que, hoje em dia, faz parte da nossa rotina, para o Luiz virou até comfort food!

Então, vamos lá, você chegou ao restaurante e não tem a menor ideia do que eleger. Minha sugestão, é que você peça uns poppadoms enquanto pensa e escolhe com calma. Não é a mesma coisa, mas imagina uma massa de pastel crocante em forma circular, do tamanho de um pão árabe. É mais ou menos assim. Deve vir com uns 3 ou 4 tipos de molho (provavelmente, um adocicado, um mais picante, um com yogurte, mas há variações). Você passa esses molhos na massa crocante, como se fossem torradas. Aí você já começa a preparar seu paladar para a intensidade de sabores que virão na sequência.

Poppadoms

Falando sobre essa intensidade de sabores, vamos ao primeiro mito da comida indiana: é sempre uma comida muito apimentada? Falso.

Primeiro, você precisa entender que pimenta é considerada um tempero, como qualquer outro. Ou seja, em inglês o termo spiced pode ser usado para apimentado ou bem temperado (sem ser, necessariamente, picante). A comida indiana é spiced, tem sabores bastante característicos e usa mesmo muitos temperos, mas nem sempre isso quer dizer que seja tudo apimentado.

E, por falar em temperos, começo pelo curry. O curry no Brasil é um pó amarelo com um único sabor. Esquece isso, você nem vai achar esse pó amarelado versão brazuca no mercado!

Existe o curry powder (pó de curry), que é uma composição de uns 20 temperos diferentes! Não tem uma cor própria nem uma mistura definida oficial como padrão. Os temperos utilizados, em geral, são: cumin (cominho), coriander (coentro), ginger (gengibre), chilies (pimentas), turmeric (parecido ao açafrão), cardamom (cardamomo), cinamon (canela), curry leaves (folhas de curry-sim, também é uma folha ardidinha!), mustard seeds (sementes de mostarda), garlic (alho) etc. Dou os nomes dos ingredientes em inglês para facilitar, caso você queira encontrá-los. Você pode comprar essa mistura pronta, mas é comum nas famílias indianas fazerem seu próprio pó de curry na mistura que lhes pareça mais conveniente. Assim como os restaurantes fazem suas misturas também. Eu mesma faço meu curry powder em casa quando resolvo cozinhar pratos indianos.

Curry powder

Entretanto, o significado mais comum quando você fala só “curry”, quer dizer que é um tipo de comida. Curry aqui são pratos compostos por um molho feito por uma combinação de vários temperos. Ou seja, você sai para comer um curry! Como, por exemplo, você comeria uma moqueca. Aliás, muito provavelmente, um britânico descreveria uma moqueca como um tipo de “curry brasileiro”.

Os currys estão entre as comidas indianas mais populares por aqui. Normalmente, costumam ser de cordeiro, frango ou camarão. Abaixo do título do prato, deve haver uma ligeira descrição de como aquele curry é preparado, se leva leite de côco, se é mais picante, se leva mais de um ou outro ingrediente específico (gengibre, folha de limão…) etc. Ou seja, se você pedir um curry de cordeiro em um determinado restaurante, não quer dizer que em outro ele será preparado da mesma maneira. Tem que checar a descrição. Curry é só a forma de preparo: um molho com vários temperos.

Curry

Os currys são servidos como prato principal e costumam ser acompanhados de rice (arroz) ou de naan. Se você pedir só rice, é o arroz puro cozido em água, às vezes nem sal tem. Se quiser o arroz mais temperadinho, parecido ao nosso refogado, opte pelo pilau rice. E o naam é um tipo de pão achatado, pode ter sabores como queijo e alho. Você molha esse pão no curry.

Naam

Bom, como falei anteriormente, nem sempre a comida é apimentada, mas vai que você goste de comida picante ou acabou pedindo por engano! Um erro clássico é beber água para aliviar a ardência. Não funciona tão bem. O ideal seria leite, mas seria meio esquisito pedir um copo de leite no restaurante, então, tente algo com yogurte, quem sabe já deixar garantido algum prato ou molho que leve esse ingrediente, mal não vai fazer… Inclusive, até para a comida condimentada, o yogurte é bem refrescante.

Para os mais aventureiros, há os vindaloos e os madras. Ambos são tipos de curry (que agora você sabe que é um prato com molho), são mais picantes, sendo o madras o mais apimentado de todos. Inclusive, o madras nem é tão tipicamente indiano assim, nasceu para agradar os ingleses. Francamente, acho que é aquela coisa de competição masculina de quem aguenta comer a coisa mais ardida. Na minha opinião, uma bobagem! Já o vindaloo, pode nem ser tão ardido assim, depende da tolerância de cada um e é bem saboroso, típico da região de Goa.

Uma boa pedida é o lamb rogan, que é um cordeiro cozido lentamente no molho até ficar bem macio a ponto de desfiar. Não é nada picante e, quando é bem feito, é de lamber os dedos!

Lamb Rogan

E que tal alguns pratos vegetarianos? Ando muito fã do black lentils dal. Pode não ser muito atraente, é próximo ao nosso feijão, só que temperado com condimentos indianos, leva muita manteiga e creme de leite. Credo, e isso fica bom? Fica dos deuses! Também se come com arroz ou naam. Para quem, como eu, adora o injustiçado quiabo, pode tentar o bhindi bhaji, é servido como prato principal ou acompanhamento. Gosto também do saag paneer, saag é espinafre e paneer é um queijo fresco que não derrete muito fácil (tipo um coalho menos salgado), a combinação é ótima!

Dal
Bhindi Bhaji
Saag Paneer

Se não quiser arriscar muito, pode tentar um biryani, é tipo um risotão que a mãe da gente faz com arroz e o que sobra durante a semana na geladeira. Ok, é melhor do que eu descrevi, mas foi só para dar uma ideia. É um arroz que já vem misturado com temperos, vegetais, carnes, yogurte, ovos, frutos secos etc. Varia um pouco e é bem honesto, eventualmente, pode ser um pouco picante, melhor perguntar.

Biryani

As sobremesas, para o meu gosto, não são o forte. Mas se tiver um sorvetinho, ajuda a limpar o paladar.

Quanto à bebida alcoólica para acompanhar, acho que a cerveja ou a cidra seriam mais recomendáveis. Infelizmente, não tomo cerveja. Assim que, para quem prefere vinho, recomendo o vinho branco, independente da carne que escolher. Claro que você toma o que preferir, mas acho que o vinho tinto é uma combinação ruim e confusa. Além de um desperdício, porque a comida vai matar todo o sabor do vinho.

A gastronomia indiana é certamente muito mais ampla do que isso. É super rica e varia bastante dependendo da região de procedência. Acho que vale explorá-la e aqui deixo apenas um gostinho de por onde começar. Se valeu pelo menos para aguçar sua curiosidade, fico feliz!

4 comentários em “Comida indiana em Londres, manual básico para iniciantes”

  1. Gosto de ler o que você escreve! Impecável! Parabéns! Quando for por aí “invadir sua praia” vou no injusticado quiabo! Deu água na boca só de olhar a foto! Ah! O cordeiro! Hummmmmmmm

  2. Minha filha atualmente vive na Alemanha,em Mainz, aliás não sei sete contei mas sou avó de trilizos duas meninas Amélia e Ellie e um menino Isidoro, bem aí há uma forte cultura indiana e restaurantes bárbaros,fiquei fã de duas coisas, o pão crocante esse recheado de cordero e o sorvete de água de rosas. Mas a comida indiana mas qutentica que comi foi em Amsterdã onde TB comprei um curry sem moer em que vc pode as sementes e ervas e depois nos em casa.Bom Bianca tudo de bom.

  3. Oi, Antonia! Parabéns pelos netos, e ainda trilizos! 🙂 A parte de restaurantes orientais em geral de Amsterdã são realmente muito bons e acho que a comida indiana combina tão bem com o clima alemão e holandês quanto o britânico 😉 Aqui também compro as sementes e ervas, alguns ingredientes até já compro em pó, misturo e trituro na mão com pilão e socador de pedra. Acho que os sabores ficam mais intensos e consigo dar mais ou menos ênfase nos ingredientes que escolho. Beijão para você!

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s