Arroz de mentirinha (couve-flor)

Da série, parece mais não é!

 

O verão chegou tinindo em Madri, com ele, a época das dietas. Não acho que a gente precise sofrer para comer melhor e mais leve, mas infelizmente, dá um pouco de trabalho. Para mim, o grande problema em melhorar minha dieta alimentar é a variedade de opções que exige. Leva mais tempo, você precisa fazer compras com maior frequência, deve evitar os restaurantes e haja criatividade!

 

Ultimamente, a onda é cortar carboidrados, coisa que para quem mora no Brasil e cresceu comendo arroz com feijão é uma tarefa árdua. Portanto, darei uma dica que igual igualzinho não é, mas ajuda muito.

 

Ingredientes: couve-flor, alho, cebola, sal e azeite.

 

É bastante simples e rápido de fazer. Pegue a couve-flor e pique em pedaços bem pequenininhos, de maneira que tenha a aparência de arroz branco.

 

Em uma panela, coloque um jorro de azeite e faça um refogado de alho e cebola. Coloque o alho antes da cebola e deixe ele dourar e dar gosto no azeite. A cebola só precisa de alguns segundos. Em seguida, adicione a couve-flor picadinha. Mexa bem, coloque sal a gosto e pronto. A couve-flor não precisa de muito tempo na panela para cozinhar, se ela ficar molenga, ficará meio sem-graça e perde muito dos seus nutrientes. O bom é que esteja ao dente, outra vez, com a consistência de um arroz branco. O sabor lembrará bastante e a aparência semelhante ajuda muito.

 

Aproveitando, dou uma outra dica que aprendi na última consulta que fiz com minha endocrinologista. O feijão não é considerado um alimento exatamente leve para quem está de dieta, entretanto, o caldo do feijão é liberado. Ou seja, se você dispensar os grãos, pode tomar seu caldinho tranquila que, além de não te engordar, aportará os nutrientes, como se fosse o caldo de uma sopa de legumes. É claro que não estou falando do caldo de uma feijoada, né? Nem tampouco de bater o feijão no liquidificador. Veja bem, você não vai enganar o estômago esmagando bem as calorias, ok? O feijão é aquele refogadinho normal, com alho e cebola. Deixar o caldo um pouco mais ralo e coar.

 

Pois bem, para quem sofre com a abstinência do feijão com arroz, vale tentar o arroz de couve-flor com caldinho de feijão. Com quantidade, aparência e sabor bem parecidos, você pode reduzir um caminhão de calorias.

 

6 comentários em “Arroz de mentirinha (couve-flor)”

  1. Oi Bianca!
    Interessante essa dica, eu detesto couve-flor mas realmente pode ser uma boa pra evitar o arroz… vocè faz regime? Eu faço desde janeiro, emagreci 20 kg com uma dieta de um médico homeopata, super pauleira, mas enfim! Tudo pra ficar bonita no casamento! Hehehe…

    Queria saber o seu email para poder conversar melhor sobre algumas coisas do meu blog que ali nao dá para falar muito (sempre tem boi na linha), escreve para o meu e assim eu te respondo. Pode ser? E aí a gente já vai se conhecendo para poder se encontrar depois! Tenho muita vontade sim, o problema é que o casamento já taí, mas quem sabe arrumo um dia livre pra nós!

    Acho que vc pode ver o meu email, senao, me fala que eu te passo por aqui.

    Beijao

    Ale de Madrid

  2. Oi! Na página principal tem um e-mail, mas repito aqui biancablog11@gmail.com. De qualquer forma, da próxima vez que passar pelo seu blog, tento deixar.

    20 kgs é coisa para burro! Não faço dietas muito severas, mas gosto de comer saudável. Procuro segurar a onda durante a semana e no fim de semana cometo alguns pecados.

    Besitos

  3. Oi Bianca
    Faz tempo que não entrava nesta parte do site, estou fazendo isso agora por que acho que o assunto tem a ver com os temas.
    Bom outro dia lendo aqui vi receitas super faceis e pensava, será que tem gente que não sabe fazer isso ????!!!
    Bom outro dia minha sogra veio me visitar e na hora da novela ela quis assistir, claro! Muito bem não querendo chatear a portuguesa toca eu e o Claudio assistir junto. Bom numa cena o ator e a atriz resolvem fazer brigadeiro juntos pra comer de colher. O Claudio se vira e diz:
    – Mas brigadeiro é feito de leite condensado???
    Eu e ela nos olhamos e a frase saiu junto:
    – Claro!!!!! Voce pensava que era feito de que?????
    Eu não acreditei que alguém pudesse comer um doce tão conhecido por qualquer criança e nunca ter prestado atenção ou mesmo ter tido curiosidade de vêr como era feito. Nem ao menos ter raspado o fundo da panela depois que a mãe fazia para as festas de aniversário. Realmente vai ser alienado na cozinha assim lá longe viu!!!!
    Beijos
    Marianne

  4. Oi, Marianne!

    Cozinha não tem grandes mistérios para a gente que cresceu em casa de gulosos e acompanhou como a comida era feita. Mas tem muita, mas muuuuuiiiiita gente que ainda considera esse setor da casa algo assustador e desconhecido, ou simplesmente nem tem interesse. A verdade é que ninguém nasce sabendo e o que nos parece óbvio, para outras pessoas é algo surreal.

    Acho que a gente não deve desanimar as pessoas a tentar, e de preferência, começando com alguma coisa simples. Brigadeiro, por exempo… heheheheh… às vezes, só falta um pouco de incentivo.

    Mas se a gente faz parecer que é algo complicado, a tendência é que o outro nem tente, com medo de fazer besteira. Daí vem a velha história que “não gosta de cozinhar”. Se não gosta mesmo, tudo bem, as pessoas não são iguais, mas tem uma boa parte que diz não gostar porque não sabe.

    Pronto, já comecei a escrever outra crônica… hahahahah…

    Besitos

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s