Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Madri

Madrid tem cheiro de fumo,

cerveja seca,

fritura no azeite

 

Humor negro

Olhares confiantes

Sorrisos desconfiados

 

E há olhos imigrantes,

esses são assustados

Não é medo da violência,

porque estão acostumados

 

Assusta sonhos que não cabem,

em um prato de comida

e caem pelo chão, pisados

 

Mas quando vem a noite

as ruas são generosas

O sorriso ébrio é mais sincero

 

A conversa é fácil,

o som é alto

e já não importa

 

Parte de mim é ira,

de tentarem me tourear,

da identidade confundida,

do passado ignorado,

de começar outra vez,

do nada

 

Outra te quer, con locura

pelo tamanho do céu,

pela intensidade da luz,

por uma língua nova,

por uma vida mais,

por me fazer mudar

 

Tenho dentro uma cidade

Também eu tenho dois lados

tenho o bem

e tenho o mal

 

Hoje os dois são maiores,

porque te cabem

E, às vezes, me dá raiva

de te ter tanta saudade!

 

PS: Essa, em princípio, é parceria com Afonso Rodrigues.

Read Full Post »

Meu Luto

Você partiu

Intransitivo

Sem chave

Definitivo, singular

 

Deixou tristeza em seu lugar

Uma dor corrosiva

Achei que nunca iria embora

Até me acostumei

 

Quase gostei

Foi  companheira

A tristeza me lembrava

Que você já esteve aqui

 

Eu nem achei que se pudesse amar assim

Por você eu pude mais

Eu pude tudo

Fiquei maior

 

Você se foi

Fiquei vazia, irregular

Manca

Fiquei nada

 

Um dia acordei  leve

A tristeza esquecida no caminho

Procurei, e só tinha saudade

Saudade boa de você

PS: Prometida ao Pedro Moreno

Read Full Post »

Não quero dormir

Hoje queria muito um instrumento.

De menos ruído,

que não cabe na visceral percussão.

Tocar tambores baixinho é paradoxal,

coração não controla seu volume.

 

Realmente, hoje,

e só por hoje,

preferia a elegância do piano,

a intensidade de um bom blues,

voz pequena, na altura de uma bossa.

 

As sete vidas que tenho direito,

uma mais contraditória que a outra.

Quero todas!

Nem sempre a liberdade é feliz,

mas é minha.

 

Vontade de abraçar gente,

de falar com estranhos,

de dançar com o cabelo no rosto,

de um bom porre…

Só porque eu posso.

 

Quero uma dose mais,

um minuto mais,

uma música mais,

um beijo mais.

E não quero dormir.

Read Full Post »

A caríssima conterrânea, que nos escreve sob o pseudônimo de Carioca, precisa de socorro!

Carioca pregunta:

Estou em Valencia! Vou ficar 6 meses e já entrei no segundo mês… Estou aqui para “tentar” terminar meu doutorado… Ai, ai, meu calo, se tudo
podia dar errado com meu projeto, deu! Estou no 3º ano de problema atrás de problema e achei que aqui na Espanha encontraria um orientador sério e dedicado que fosse ser a solução dos meus problemas! Isso tb deu errado… Ele definitivamente não é a solução dos meus problemas… É só mais um a enfrentar… Meu orientador no Brasil é um político mal caráter e o daqui me parece que é só político, espero que não descubra que tb é mau caráter… Deus me ajude!!

Bom, mas não estou aqui para falar do meu doutorado, que só para tirar a curiosidade é com verme de pinguim! Mais especificamente intestino, ou seja… merda! Vivo chafurdada na merda! Ok, não reclamo disso! essa é a graça da minha vida!! hahaha

Como vc é a Madame B, vim aqui para pedir um socorro, uma luz, ou uma dica que acho que seja o mais possível de vc fazer… Estou a SEIS anos solteira!! Mais ou menos… um beijo na boca aqui outro lá (é, pq a frequencia é bem baixa!), e meu último relacionamento (o mais sério dos 6 anos) foi com um Cubano que me apaixonei loucamente mas qdo ele soube da minha bolsa para vir para a Espanha, me disse que nossa história era impossível e que ele SABIA que aqui eu conheceria um Espanhol e ia me apaixonar… E ele não queria me “obrigar” a ficar com ele… Todas as desculpas para se livrar de mim, e se livrou! E ainda casou com uma Cubana… Para mim, ele falou isso para se livrar de mim, mas o fato é que não é tudo totalmente sem fundamento (na minha cabeça sim, mas para vc me conhecer um pouquinho vou te falar o que “os outros” falam).

Tenho 36 anos mto bem vividos. Sou uma mulher alegre, carioca e com muitos amigos! Amo samba, sou branca leite mas sempre digo que nasci do avesso pq pareço uma nega sambando, modéstia parte, sambo muito! Sou bonita (para mim é mto difícil falar isso e até acreditar, mas depois de uns
anos de terapia resolvi ouvir o que a maioria das pessoas acha), sim sou uma mulher bem bonita! Sou interessante, já viajei muito e tenho muita história para contar, trabalhei com macaco, vivia feliz no meio do mato, catei cocô de mamífero no Piauí e agora trabalho com pinguim!! Rsrsrs… diversificada, e por isso, rica em vida e experiência (graças a Deus e meus pais)! Meu pai = VINHO – sommelier, por isso meu interesse, mas estou longe de ser uma expert! Mas…, tenho excelente paladar, não entendo nada mas sei o que é bom, mto bom e ruim. Por isso sou chata, no Rio não tomo vinho, fico na cerva! Carioca bolsista do CNPq não toma vinho, se toma bebe coisa ruim, então prefiro ficar na cerveja! Ai…, falo mto!

Voltando a questão! Todos me falaram que vou me apaixonar por aqui, que CERTO um Espanhol se apaixonar por mim… Até a mãe do cara que
moro me falou isso já aqui na Espanha… Mas… depois de quase dois meses não apareceu NADA! Nem um olhar na rua… Mtas frustrações!! Meu orientador não vai me ajudar (primeira frustração), as pessoas do laboratório são extremamente fechadas (segunda frustração), moro com um casal (metade da terceira frustração, rsrs… o cara é gatinho e interessante, tb faz doutorado mas em outra área! Mas a namorada apesar de super gorda – na minha cabeça não combina- é uma AMOR, QUERIDA e quero mto o bem do casal…) e mais um outro Espanhol SUPER antipático!! Ai.., ou seja, estou só! Mais só do que nunca… No Rio me sentia só mtas vezes mas saía com os amigos, tomava cerveja e caía no samba… Aqui… Nem companhia para tomar um vinho eu tenho… Isso tudo foi para te dizer que estou muito precisada de dicas para me divertir (sozinha) e conhecer gente em Valencia! Será que vc me ajuda?? Morando a tanto tempo na Espanha talvez conheça a cidade e boas dicas! Os vinhos já estão anotados, mas vou ficar com
os baratos!

Aguardo uma “ajuda”!

Bj, a carioca!

Madame B responde:

Querida Carioca,

Veja bem, quem te disse que aqui certamente você encontraria um espanhol que se apaixonaria por você esqueceu de te contar quanto tempo isso
costuma demorar! Entre nós, eles são ruinzinhos de jogo pacas! Esperar ser olhada ou abordada romanticamente na rua… putz! Você vai ficar traumatizada achando que tem alguma coisa errada contigo! Não tem, é que eles não são azaradores e ponto final! Se comparar com o típico homem carioca então… nossa, são umas moças! No máximo, você recebe algum “piropo” (cantada, elogio) de algum cidadão da construção civil e olhe lá! Mesmo assim, porque eles sabem que não há a menor possibilidade de você dar alguma conversa e na maior parte das vezes, nem espanhóis são.

Em defesa dos machos ibéricos, digo que a culpa é da mulherada também, porque a espanhola é jogo duríssimo! Quando é paquerada, é grossa! Se estiver com as amigas então… ih… impossível! Assim que os rapazinhos tem até medo de dar a entender que estão assediando alguém.  Honestamente, às vezes me pergunto como eles procriam!

É improvável encontrar alguém legal para namorar? Não, mas leva tempo. Esse negócio de sair, dar uns beijos na boca e pronto não é o costume. Aliás, te aviso outra coisa, custa muito para sair um beijo, mas se sair, meio que quer dizer que vocês vão para cama. Vai entender? É nada ou tudo, né? Não quer dizer que você seja obrigada,  simplesmente, não se ofenda porque ele vai entender isso.

Outra coisa, esse tipo de casal com a mulher mais gordinha é bastante comum, acho que eles gostam de uma carne, o que inclusive interpreto positivamente. Essa coisa anoréxica do padrão de beleza da mulher européia é meio doentio, na minha opinião, principalmente na França.

Nem tudo é desvantagem. Porque, por outro lado, você pode sair sozinha tranquila, ir a um bar, dançar, o que você quiser, que não quer
dizer que você está dando mole! Não pega mal, não tem problema nenhum. E se alguém puxar papo, pode conversar, não quer dizer que vocês vão ficar juntos. Inclusive, você mesma pode puxar papo à vontade que  ninguém vai achar que você é fácil por isso. Ou seja, não necessariamente você está na rua porque está no crime, sabe como é? E é igual tanto para homens quanto mulheres. Tem seu lado libertador, pode acreditar!

Como você curte vinhos, por que não tenta participar de alguma degustação? Aquí se chamam “catas” e não são tão caras assim. É um bom lugar para conhecer gente legal e não há nenhuma necessidade de ir acompanhada.

Agora, vem cá, considerando que você já vai embora daqui a alguns meses, para que você quer tanto se apaixonar? Relaxa, curte o que tem de bom! Se não tiver companhia para sair, sai sozinha mesmo! Bate papo nas “barras” dos bares, qual é o problema que não vai dar em nada? Assim você pode ser  mais espontânea porque não tem nenhum compromisso com o futuro. E quem sabe, quando você já nem espere mais…

Infelizmente, não conheço grandes dicas de Valencia, só fui a passeio um par de vezes. Mas se pintar por Madri, me procura que te mostro um monte de lugares legais!

Boa sorte, Carioca! Bom humor você tem e isso certamente te abrirá portas aqui ou em qualquer lugar do mundo!

Besitos, Madame B

Read Full Post »

Adolescente Indecisa

Oi Bi!!
É minha primeira vez lendo se blog sozinha( já que sempre vejo com minha mãe), entao o meu problema é o seguinte. Se prepare, é coisa bem de adolescente…ahahahah
Tem dois caras na parada, nao sei quem eu realmente quero e eu já sai com os dois pra “avaliar”! O que você faria?! Hahahaha
Beeijos
Sinto muuuitas saudades de vocês

Read Full Post »

Estudante de MBA

Oi madame B,

sou uma estudante de MBA e tenho questionado o meu relacionamento com os meus colegas de grupo. Somos 6 pessoas no grupo de estudo e temos uma conference call a cada duas semanas para trocar nossas impressões sobre o que estamos aprendendo e sobre o curso.

A questão é que a maioria dos membros do grupo não tomam a iniciativa de liderar as discussões e aí eu acabo assumindo esse papel. Não sei se os outros membros do grupo acham isso bom ou ruim, mas na verdade se alguém mais se prontificasse a tomar a iniciativa eu acharia bem legal.

Um dos membros do grupo questionou que nós deveriamos nos concentrar mais na discussão da teoria, mas além de distribuir uma agenda pra reunião ele não contribuiu ativamente na conversa em grupo pra tornar a discussão mais teórica. E lá fui de novo tentar obter de cada um a sua visão do que aprendeu.

Estive pensando em sugerir que a cada reunião um membro do grupo seja o líder, mas também acho que isso não é a solução. Eu gostaria que cada um contribuisse ativamente para que as nossas discussões sejam produtivas. Entretanto, também reconheço que as pessoas tem formas distintas de agir e eu não quero forçar ninguém a fazer nada que não querem.

Enfim, não quero ser a figura dominante no grupo e gostaria que eles fossem mais acertivos, mas entendo que talvez eles não se sintam bem nesse papel. No entanto, tenho receio que a falta de iniciativa esteja baseada na confiança de que alguma pessoa (na maioria das vezes: eu) irá assumir esse papel. Ou ainda pior, que estejam me vendo como uma tirana que sempre assume o controle.

Gostaria de saber a sua opinião. Algum palpite em como eu devo proceder? Não necessariamente na forma prática de lidar com o grupo, mas principalmente em relação ao meu comportamento e questionamentos. Não sei se a solução está vinculada à mudar a dinâmica do grupo ou mudar as minha atitudes e questionamentos.

Um abraço,

Estudante anônima

Read Full Post »

Acabei de ler sobre o lançamento de um documentário “Herbert de Perto”, sobre o Herbert Vianna do Paralamas, se é que preciso explicar de quem se trata.

 

Primeira constatação, caraca o Herbert está velho! Está parecendo o Dr. Evil do Austin Powers! Segunda constatação, putz, será que as pessoas pensam o mesmo quando olham para mim? Sério, olho minhas fotos e tenho praticamente certeza que meu nariz cresceu! Pombas, sabia que orelha crescia, mas nariz também cresce? Isso é uma sacanagem, orelha pelo menos a gente pode cobrir com o cabelo!

 

Felizmente, mulheres costumam ser mais educadas. Homens já chegam logo dizendo que o outro está careca ou gordo! Acho que eles também não gostam, mas toleram por uma questão social, doidos para darem o troco em algum momento. Agora, fico imaginando alguma amiga me cumprimentando, Bianca, você está com uma papada, hein? E esse regime? Você está uma vaca! Eu ia querer morrer, logicamente depois de assassiná-la e com requintes de crueldade! Talvez seja por isso que as mulheres sejam mais gentis, conhecem o perigo nuclear em questão.

 

Outro dia, uma amiga espanhola na faixa dos cinquenta me disse que agradecia ao fato de não haver sido uma menina bonita no passado. Porque hoje, suas contemporâneas estão todas muito parecidas, sendo que as consideradas muito bonitas sofrendo mais, por terem a sensação que perderam alguma coisa. Um pouco de exagero, pois tampouco é uma mulher feia, mas entendi o que quis dizer. A beleza é relativa, e passa.

 

Muito bem, nunca fui vaidosa, juro. Durante a adolescência acreditava naquela bobagem que o importante era a “beleza interior”, nada mais cliché, vamos combinar. Era pouco feminina até a faculdade, quando ainda me vestia como uma militante comunista. Depois fui descobrindo que me cuidar também podia ser um prazer e que podia ser bastante conveniente calçar os sapatinhos cor de rosa. Inteligência te dá mais poder, mas aparência adequada ajuda muito.

 

Hoje estou confortável, acho que sou produzível. Poderia, ou posso, melhorar umas quantas coisas, que não vou contar nem morta, mas nada que me incomode significativamente ou que não possa ser disfarçado.

 

Por outro lado, para ser realmente sincera, vou na contra mão dessa minha amiga espanhola. Acho que a aparência me importa mais atualmente que antes. Já estou bem de beleza interior, queria era ser linda e sempre magra! Queria mesmo era ter o corpo da Madonna ou envelhecer como a Sophia Loren.

 

E a propósito, sobre a pergunta do início do texto, se as pessoas também acham que envelheci, era retórica. Não quero saber!

 

É… sefodeaí.com…

Read Full Post »

Older Posts »