28 – For women only

Muito bem, acho que estou meio densa, né? Uma pequena pausa para gaiatice? Pois esse capítulo é dedicado às meninas. Não que os meninos não possam ler, mas simplesmente não entenderão nada. ¡Lo siento! Há prazeres que são absolutamente femininos!

 

Chegando ao Brasil, houve uma coisa que precisava fazer com urgência urgentíssima: me internar em um salão de beleza, lógico! Cortei o cabelo, fiz mão e pé, depilação, sobrancelha, escova progressiva, limpeza de pele, luzes, hidratação… TU-DO! Todo tempinho extra, sofria uma tortura diferente e saía feliz da vida!

 

Só uma mulher é capaz de entender como é possível entrar em um salão se sentindo a pior das criaturas e sair se achando a poderosa Ísis!

 

Sim, em Madri tem salão de cabeleireiro e o preço nem é tão exorbitante quanto nos EUA, mas não é a mesma coisa que no Brasil. Nem se compara! Não há nada como explicar na sua língua o corte de cabelo exatamente como você quer, mesmo que seja impossível conseguí-lo. Não há nada como fazer uma depilação que se preze sem precisar ficar explicando porque você quer que cave um pouco mais. Cassilda! Todo mundo não sabe por que? Porque a gente se sente mais sexy na hora de dar! Porque a gente gosta de usar biquini sem precisar ficar se ajeitando o tempo todo! Porque é mais higiênico! Precisa realmente fazer a gente dizer? Não são todas mulheres? Francamente, isso é óbvio! Será que alguém poderia fazer um manual para as depiladoras européias explicando que virílha não é coxa? Virílha também se chama em depilação de “contorno”, e um contorno con-tor-na!

 

Capítulo escova: não é o máximo fazer escova com tanta frequência que você chega a acreditar que seu cabelo é arrumadinho assim naturalmente? Quando saí do Brasil poderia jurar que meu cabelo era liso de nascença! Dessa vez, não conversei, tratei de fazer a escova progressiva! Não dura para sempre, mas me iludirá por algum período. Só não fiz a tal da chocolate porque não deu tempo! Fiquei numa curiosidade…

 

Depois da reforma completa, me senti segura para ir comprar uma calça da Gang. Minha mãe achou um pouco cara e tive que explicar para ela que não estava pagando um jeans e sim uma cirurgia plástica. Pois o diabo da calça me deixou com a bunda que nunca tive e nunca terei! Convenhamos meninas, isso não tem preço! Olhei no espelho e me perguntei se não estava parecendo um pouco vagabunda. Para ser sincera, estava… um pouco. Mas quer saber, quem aqui de verdade quer parecer freira? Só não precisa exagerar, né? Como tenho cara de santa, acho que na média, passo. Duvido que Luiz ache ruim!

 

Capítulo sapatos: claaaaaaro que sim! Fui comedida, só comprei dois pares e um deles ganhei da minha sogra. Por outro lado, aproveitei para usar meus saltões. Aqui em Madri é difícil, porque como caminho muito, preciso de sapatos bem confortáveis e com saltos baixos. Vamos falar a verdade outra vez: ou o sapato é bonito ou é confortável! As duas coisas, normalmente é pedir demais! De qualquer forma, como foi bom me sentir alta outra vez.

 

Alta, com o cabelo arrumado, unhas feitas, pele limpa e bumbum levantado, estava pronta para qualquer desafio!

 

… eu gosto de ser mulher…sonhar arder de amor… desde que sou… uma menina…

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s