87 – Cinco minutos de fama

Vou contar um segredo secreto. Só é secreto porque não é só meu e não gosto de contar segredo dos outros. Mas como agora fui autorizada, lá vai pelo menos uma parte do acontecimento.

 

Uma das nossas amigas cantora está gravando um CD. Essa gravação é aqui em Madri e visa o público hispano-americano. Onde é que entramos nessa história? É que alguns integrantes do coral, que fazemos parte, foi chamado para participar em uma faixa.

 

E… tcham tcham tcham tcham… nós agora cantamos oficialmente em um CD de verdade!

 

Bom, eu estou achando o máximo! É uma experiência que nunca imaginei ter e é gostoso viver por alguns momentos uma vida diferente. Assim como para outros participantes da palhinha, a oportunidade de gravar em um estúdio profissional era única. Quem sabe apareçam outras, na vida a gente nunca sabe, mas já estamos mais do que no lucro.

 

Foi assim, na sexta-feira, só para variar um pouquinho, fomos os primeiros participantes a chegar no estúdio. Nossa amiga cantora já estava por lá gravando. Luiz entrou no local da gravação e ficou assistindo. Eu achei melhor esperar na sala mesmo, para não atrapalhar.

 

De repente, olhei em volta e notei que me sentia bem no local. Comecei a rir sozinha quando percebi que era por causa dos quadros e gravuras nas paredes. Eram vários e incrivelmente bons! Parecia uma galeria de bom gosto. Alguém distraído poderia não notar, mas qualquer olhar um pouco treinado, sabia que havia referências importantes, tudo muito pensado. Podia não ter nada a ver com o fato de estarmos ali para cantar, mas já gostei.

 

Os amigos começaram a chegar e foi batendo um friozinho na espinha, para a gente, era tudo muito novo.

 

Claro que levei a máquina fotográfica, como é que não iria registrar o momento. Depois, quando o CD for lançado, faço a propaganda aqui, tudo direitinho. Por agora, conto só a experiência.

 

A música que participamos é uma espécie de desafio entre meninos e meninas, e assim o grupo foi dividido, primeiro gravaram as seis mulheres e em seguida os seis homens.

 

Tudo como manda o figurino, entramos em um estúdio com tratamento sonoro e colocamos nossos fones de ouvido. Do lado de fora do vidro, nossa maestra e o dono do lugar nos enviando as coordenadas. E a gente dentro, com aquela cara de colegiais, tentando entender o que fazer e errar o mínimo possível. Uma vontade de rir infantil!

 

Repetimos algumas vezes, porque certamente eles precisarão fazer um trabalho de corte e colagem para garantir o melhor resultado. Mas achei que foi mais rápido do que esperava. Curti para burro! Estou super curiosa para ver o resultado final.

 

Assim que terminamos nossa parte, entraram os meninos. Corri para fotografar o Luiz e o grupo. Quando eles começaram a gravar, fui verificar as fotos que o Luiz tinha tirado das meninas e tal. Não havia nenhuma! Não acreditei! Ele estava batendo fotos com outra máquina e não tinha uma fotozinha minha de nada. Caraca, como é que ia tirar onda depois? Que raiva!

 

Daí fiquei com a câmera pronta para esperar quando eles terminassem e alguma alma caridosa me tirasse uma foto dentro do estúdio. Aconteceu que na hora que eles terminaram e fomos liberados para entrar, estava tão ocupada com a câmera que nem levantei a cabeça. Entrei de cara na porta de vidro e deixei minhas digitais da testa prensadas para que não houvesse dúvidas. Um micão! Mas tudo bem, esse conto em detalhes no Sefodeaí.com. O importante é que rolaram as fotos, inclusive a da saliência na minha testa! E, no fundo, mesmo sendo a protagonista desse evento totalmente dispensável, bem que achei engraçado.

 

Tudo bem também, porque depois trocamos as fotos entre nós do grupo e no fim das contas, todos aparecíamos, e assim está garantido o registro para lembrarmos dos nossos cinco minutos de fama.

 

blog

 

De lá, como se diz por aqui, salimos de marcha pelo centro da cidade para comemorar. Isso é normal por essas bandas, a gente não fica em um lugar só. Entramos em um bar, bebemos e picoteamos um pouco, mudamos de lugar e repetimos o ritual, e por aí vai. Não chegamos a rodar muito, até porque fazia un frío que pela, mas gostei especialmente de um restaurante e bar chamado En Busca del Tiempo, na Calle Barcelona. Algumas garrafas de vinho depois, já estava morta de calor, leve com menos três camadas de roupa e juro, sem nenhuma condescêndencia, feliz. Eu sei, o vinho sempre nos deixa mais emotivos, pode ser, mas estar com gente legal em um lugar com esse nome tão sugestivo, só podia ser bom. O garçon, que brindou conosco na última rodada, nos acompanhou até a porta como se fôssemos clientes de sempre, talvez possamos nos tornar.

 

Na volta para casa, obviamente agora bem agasalhada, não me importou nem a chuva rala nem o frio. Quem diria que a essa altura teria a chance de participar de uma gravação e ainda por cima em Madri! A vida dá voltas curiosas e ainda há muito por fazer.

 

8 comentários em “87 – Cinco minutos de fama”

  1. Haha tava aqui desde de manha entrando e saindo esperando a cronica!!!! Aeeeeeeeeee, quem diria , nós , gravando num estudio em Madrid ! 🙂

    beijos chica cantora!

  2. Oi Bianca

    Que legal, já participei de um coral e cantavamos nas ruas , shopping, metro, no inicio achava o maior mico, mas depois a gente vai gostando e é muito bom, mas dai a gravar um CD … só voces mesmo.

    E que cabelão é esse???? é promessa? Eu me lembro de voce aqui em São Paulo, não estava comprido assim, como cresceu rápido!!!

    Boa sorte pra sua amiga com o CD.

    Beijos

    Marianne

  3. Oi, meninas!

    Viram que chique? heheheheheh… estava doida para contar! Quando sair o CD, pode deixar que faço a propaganda!

    Selma, para você ainda vai interessar mais, porque é de músicas infantis, mas já não posso dizer mais que isso ;P

    Estou cabeludérrima! É que não me dá vontade de cortar! Quando começar a me embolar, sentando sobre o cabelo, quem sabe…

    Besitos

  4. Calma Betty, o Luiz fez milhares de fotos, tínhamos combinado porque imagina todo mundo fotografando seus primeiros 5 minutos de fama? hahaha mas vc tinha que por a foto (tremida) do seu galo na testa…..eu adorei a experiência tb, um check a mais na nossa check list de “things to do once in life” 😉 besosss!!

  5. Oi, Suz!

    … ema, ema, ema… queria minhas fotos garantidas! Como é que eu ia saber que estava em outras fotos? Agora, tudo bem 😀 A foto do galo tá lá no Sefodeaí.com. A experiência foi 10!

    Besitos

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s