55 – Aproveitando o verão em Madri

Quando entra agosto, Madri muda de cidade! Na Espanha, todo mundo adora tirar férias no mesmo mês, sempre é agosto e ponto final.

 

Diz a lenda que esse ano estão em crise, que os hotéis estão reclamando, que as pessoas estão viajando menos… pode ser, quem sou eu para duvidar, mas o fato é que as ruas madrileñas estão vazias e as praias lotadas. E faz um calor de cuernos!

 

Bom, não fui acostumada a viajar em agosto mesmo. Acho que só quando tinha férias escolares seguia algum padrão de viagem anual, ainda assim porque eram meus pais que decidiam. Depois que comecei a trabalhar, a verdade é que sempre procurei ir na contra-mão. É mais barato e os serviços são melhores. Para que vou me estapear por um filão de areia? Nem morta!

 

Honestamente, aprendi a gostar de Madri no verão também. Tudo fica mais tranquilo e gira em outra velocidade. É verdade que você tem menos opções de restaurantes e lojas, porque boa parte fecha durante todo mês, são férias coletivas. Mas pouco a pouco, noto que o comércio está tentando se administrar e aproveitar melhor esse período. Talvez a grande entrada de estrangeiros tenha favorecido essa situação.

 

O fato é que chegou outro agosto, o quarto que passo na cidade. Entretanto, o primeiro que tenho a mordomia da terraza. Por que não aproveitá-la? Às vezes, temos as coisas tão ao nosso alcance que deixamos para outro dia, ou para o fim de semana, ou para nunca.

 

Há umas duas semanas, montamos uma piscina de lona, que já havia no apartamento. Poderia ter sido montada antes, mas só fizemos sob o pretexto de ter crianças em casa.

 

Acontece que depois de montada, bem que gostei da brincadeira. Descobri que podia acordar um pouco mais cedo e pegar uma horinha de sol por dia. Melhor, se Luiz não chega tão tarde, ainda podemos aproveitar a luz que vai até depois das 22:00hs. O calor infernal tem suas vantagens, porque aumenta a temperatura da água, que parece ter sido aquecida mecanicamente. Fico a própria lagosta boiando na água morna e até peguei uma corzinha.

 

Na sexta-feira, Luiz conseguiu chegar cedo em casa. Quando me ligou do caminho avisando, já armei o circo lá em cima para não ter desculpa. Sei que deu preguiça de subir quando ele chegou, mas uma vez na terraza, aproveitamos o dia, a água e um churrasquinho básico no nosso clube privê.

 

De lá, seguimos para um aniversário duplo na Sala Caravan, foi show do Afonso, um brazuca que canta para burro e vive por essas bandas. Até pouco depois da uma da manhã, tempo que durou seu show, foi extremamente divertido. Depois entrou aquela música eletrônica espanhola de toda la vida que já não aguento, muito ruim. Quando você bebe um pouquinho, dá para suportar, mas nesse dia estava na base da água mineral. Por volta das 2:00hs, pedi arrego. As pessoas eram ótimas, mas não dava para conversar com aquela música péssima e altíssima. Na saída, paramos em um bar ao lado, com mais outro casal, para Luiz e eles tomarem a saideira. Que alívio ouvir as pessoas novamente!

 

No sábado, de dia fizemos algumas comprinhas básicas e à noite fomos jantar com amigos recém casados. Um apartamento ótimo, que por ser no andar térreo, ficou com direito a utilizar a área externa, ou seja, tem um ar de casa. Eles serviram o jantar nesse jardim, a luz de velas. Foi uma noite muito agradável.

 

Domingão, eu só queria piscina! Não acordamos tão tarde e de 13:00hs às 21:00hs fiquei sob o sol. Quase que o tempo inteiro dentro da água, do lado de fora não dava para aguentar o calor. Um casal de amigos nos fez companhia no nosso dia de morgação total. No início da noite, claro que eu era praticamente um salmão defumado. Não teve protetor solar que desse conta do recado. Mas tudo bem, estou parecendo mais saudável.

 

E assim passam os dias, com jeitão de férias, mesmo não sendo. Talvez a gente fuja em algum fim de semana para praia, não sei. Enquanto isso, que o Hawaii seja aqui!

 

6 comentários em “55 – Aproveitando o verão em Madri”

  1. Hummmm chica, pensando bem, um churrasquinho de noite na piscina tomando banho de lua nao seria nada mal né? rsrsrs
    Chica, to tostada tbem , acho que gasto um litro de hidratante a cada banho rssrss

    Tudibao nosso Hawai !!!!! E viva a piscina aquecida, o verao madrileño, os sacos de gelo, as bebidinhas geladas, o churrasquinho servido , e a companhia de vcs é looooooooooogico!!!!!

    Beijoss

  2. O churrasquinho servido… putz! Como fui esquecer de escrever isso? O mico de imitar focas felizes para ganhar churrasco na boquinha… ahahahahah… E o glamour do saco plástico de gelo na cabeça? Puxa, esqueci tudo!

    Também estou a base de hidratante e as costas estão coçando que é uma beleza! Tem nada não, daqui a pouco vou lá outra vez 🙂

    Churrasquinho à noite é tudo de bom, mas Luiz fica com preguiça, acredita? Depois que ele vai, bem que gosta, mas convencê-lo a subir não é tão fácil.

    Besitos

  3. Oi Bianca

    E aquelas piscinas turcas? Agora com uma particular ninguém mais te tira dessa folga, hahahaha. Eu já tive uma piscina dessas para a Luciana!!!! e quebrava o galho na boa!
    Fico imaginando voce…. parece com um episódio da Grande Familia, onde a Marieta Severo resolveu fazer greve de serviços caseiros e montou uma piscina destas, um guarda-sol, maiô floridão, chapéu, caipirinha com direito aqueles guarda-chuvinhas para decorar o copo, um sarro.
    Cuidado com o sol!!!
    Beijos

  4. Pô, Marianne! Assim você acaba com meu charme… hahahahaha… vou te mandar a foto da piscininha para você ver como quebra bem o galho.

    Quanto às piscinas turcas, essa época fica muito cheio de turistas (olha a nojenta local!). Mas sei lá, qualquer dia desses… de repente, pelo meio da semana é mais vazio.

    Besitos

  5. Nossa, o que deixas para mim aqui em Sevilla! O bafo da Andalucía é de matar, INSUPORTÁVEL. Acho que não dá pra ficar no sol nem com piscina aqui (acho, porque eu não tenho…hhehehe).

    No meu primeiro ano também achei muito estranho em pleno agosto as pessoas estarem de férias, as ruas vazias, as lojas fechadas (férias coletivas, no Brasil, nunca!!!!). Me angustiava um pouco, porque foi justo qdo comecei a buscar trabalho… e nada acontecia!!!

    Enfim, aqui estou no terceiro verão nesse caldeirão…

  6. Oi, Glenda!

    Tem toda razão, em matéria de calor, Sevilla não é mole!

    Os primeiros agostos, para mim, foram mais duros. A cidade me parecia meio triste. Ficava desesperada porque sabia que os animais começavam a ser abandonados. Mas acho que até isso deu uma melhoradinha. Agora parece que aprendi a curtir o verão também, não tem jeito mesmo.

    Ontem me disseram que a partir de quinta deve começar a melhorar a temperatura, vamos ver…

    Besitos

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s