XLI – Palavrotas

Vamos ser sinceros, afinal de contas, depois de quarenta capítulos, mesmo quem não me conhece já pode dizer que tem alguma intimidade, certo? Então, falemos a verdade, qual a primeira coisa que queremos aprender quando estudamos uma nova língua? Os palavrões, é claro! Mesmo que a gente nunca use, a curiosidade é quase infantil. Que tal um intervalo para baixar o nível sem culpa e satisfazer a curiosidade da galera? 

Palavrões são chamados palavrotas, entretanto, se você tiver mais de doze anos, é melhor dizer tacos. O Espanhol fala uma porrada de tacos. Viu? Já comecei a baixar o nível. A partir de agora, favor tirar as crianças da sala. 

O que mais escuto, escrevi uma vez, é o tal do Joder. Joder, quer dizer foder e se usa com tranquilidade. É muito falado assim no infinitivo: joder! Entretanto, existe a versão foda-se, que é jódete. Essa é a versão light, você pode falar para um amigo sem problemas. Mas se quiser ser ofensivo, tem que dizer que te jodan!. Foder-se você pode, mas que te fodam é muito agressivo! 

Bom, o mierda é universal, né? Ninguém precisa de explicações.  

Hostia é ambíguo. Não é exatamente um palavrão, mas dependendo de como é dito, soa como um. Pode-se dizer la hostia! para uma coisa muito legal, ou hostia!, que soa como mierda. 

Acho que há um pouco de machismo na língual. Quando uma coisa é boa, pode-se dizer que é cojonuda, que provém de cojones ou culhões. Cojonuda é do cacete! Mas se é ruim, se reclama dizendo coño! (órgão sexual feminino). Também há a variação coñazo, muito ruim. 

Outra machista, um zorro é uma raposa, uma zorra é uma puta. 

Conhecidíssimo é o “me cago en…”. O espanhol, aparentemente, adora cagar em alguma coisa. Isso normalmente quer dizer que ele está puto. O mais comum é o me cago en la leche, não se preocupe tanto com a tradução, afinal de contas, cagar no leite não parece muito ofensivo nem inteligente. Mas é muito utilizado quando você quer reclamar no trânsito com o outro motorista barbeiro. Grite com voz grossa e testa franzida: me cago en la leche!  

Pero, você pode cagar em muito mais coisas para xingar os outros. Os que já ouvi na rua são: 

Me cago en la hostia

Me cago en tu puta madre
Me cago en la mierda (isso não seria um pleonasmo vicioso?)
Me cago en la virgen (ou a derivação “me cago en las tetas de la virgen”)
Me cago en dios (desculpem-me os religiosos, mas só estou repetindo)
Me cago en tus muertos (gravíssimo para um cigano! Cuidado ou ele puxa uma faca e será crime com atenuante)
Me cago en… etc… a criatividade nunca acaba! Cague no que quiser!
 

Há uma coisa divertida, as pessoas mais velhas, às vezes se sentem constrangidas em dizer “me cago en…” e substituem por “me cachís…”. Acho que nesse caso, é só uma cagadinha. 

Por outro lado, se você bostezar, está apenas bocejando. 

Pegadinha: se alguma coisa é de puta madre, isso é bom! 

Como no Brasil, também há um ritual masculino de confraternização. Nunca vi meu marido cumprimentar um amigo dessa maneira: Olá, Jorge! E o outro responder, Como vai Luiz? É sempre assim: Oi, homossexual-passivo-cachorro-corno! E o outro responde, Fala viadinho-filho-da-puta-beijo-na-bunda! Daí eles se abraçam e isso quer dizer que são muito amigos. Aqui é a mesma coisa. Só que sai algo como cabrón-hijo-de-puta-jódete 

Nessa linha, há o gilipollas. Esse é bastante utilizado, mas difícil de traduzir, é algo como babaca ou dick-head. Pode ser dito entre amigos nos rituais masculinos se – e somente se – forem muito amigos, mas é preciso dominar a arte ou pode pegar muito mal. Na dúvida, não utilize. Segue a mesma cartilha do homem carioca, cuja lógica diz que filho-da-puta, tudo bem, mas otário o cacete, “mermão”!  

Também há as expressões sexuais, não necessariamente palavrões, mas é bom saber para não falar bobagem e não parecer um guiri (gringo, turista). Assim como o brasileiro pode “molhar o biscoito”, o espanhol molha outra coisa, ele pode “mojar el churro“, o que anatomicamente faz até mais sentido. Também pode “pasar por la piedra”, “echar un kiki” ou “echar un polvo“. Atenção! Estoy hecho polvo, quer dizer apenas que você está cansada/o, como em “estou o pó”! Você só “afogou o ganso” mesmo se disser “hecho un polvo”. Esse “un” faz toda a diferença.  Agora, se quiser ser mais direto, é “follar”. 

Um rapazinho pode “ponerse burro“. Na verdade, ele teve uma ereção. Essa é outra que faz sentido, um homem pode ficar meio burro nessa situação! Mas acho mais engraçadinho o termo “ponerse cachondo/a”. Se uma mulher disser a seu parceiro, “hombre, me pones cachonda!”, não estará reclamando e sim cheia de amor para dar. 

Viu só como morar na Europa deixa as pessoas mais cultas?  

Carai, que hoje estou uma lady! Joder! 

3 comentários em “XLI – Palavrotas”

  1. Eu amo os palavroes espanhóis… aliás, dia desses tenho que escrever sobre isso no meu blog! Acho que sao os melhores palavroes que existem, os mais “desabafantes”! Dizer “me cago en todo” é muito mais “relaxante” do “merda!”. Hahaha, acho que estou me espanholizando!

  2. Amei isso. Simplesmente AMEI. Tenho uma amiga espanhola que usa vários desses palavrões, mas na maioria das vezes só sei que são palavrões, não suas variações nem o que necessariamente significam… Adorei esse post!!

Seja bem vindo a comentar! Sua resposta pode demorar um pouco a ser publicada.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s